PMI da China é revisto para cima, mas não evita sexto mês seguido de contração

Indicador que reflete a atividade manufatureira subiu de 48,3 em março para 49,3 em abril, segundo dados compilados pelo HSBC
Por Fernando Ladeira de Azevedo  
a a a

SÃO PAULO - A atividade industrial na China continuou a se contrair em abril, mas a um ritmo menor que o projetado anteriomente. Conforme dados publicados nesta quarta-feira (2) pelo Markit Economics e compilados pelo HSBC, o PMI (Purchasing Manager’s Index) para o mês alcançou a marca de 49,3, acima dos 49,1 estimados previamente e superior aos 48,3 em março.

Apesar disso, o número abaixo de 50 indica contração da atividade manufatureira. Assim, abril configura o sexto mês consecutivo de deterioração. Esse número se contrasta com aquele divulgado pelo governo chinês na véspera, o qual mostrou o melhor patamar em 13 meses ao subir de 53,1 em março para 53,3 em abril.

Segundo o economista-chefe do HSBC, Hongbin Qu, a revisão para cima do indicador sinaliza para a estabilização do ritmo de desaceleração econômica. “Enquanto as medidas de alívio começam a funcionar e outras adicionais estão a caminho, à luz de um cenário acomodativo para a inflação nos próximos meses, nós esperamos que o PIB chinês se recupere modestamente no segundo trimestre para 8,5%”, escreve no comunicado.

Desemprego e produção industrial pressionam
Apesar disso, o comunicado alerta que a produção industrial e o nível de desemprego pioraram no mês. Sem citar valores, o HSBC afirma que a taxa de desocupação na economia atingiu o menor patamar em 37 meses, enquanto a produção industrial se retraiu pelo segundo mês seguido, apesar de que a um ritmo menor que em março.

Deixe seu comentário