Após escândalo de refinaria, Aécio chama Petrobras de "OGX de Dilma"

Senador e pré-candidato à Presidência da República pede que compra da refinaria de Pasadena, pela Petrobras, seja investigada; valor da aquisição foi feita 1500% acima da quantia de mercado
Por Paula Barra  
a a a

SÃO PAULO - O senador e pré-candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB) disse que a Petrobras (PETR3PETR4) se tornou a "OGX da presidente Dilma", durante pronunciamento no plenário do Senado, na última quarta-feira, a respeito do "sim" de Dilma Rousseff à aquisição de 50% da refinaria de Pasadena, pela Petrobras, em 2006, quando comandava o conselho de administração da petroleira. Documentos revelados por O Estado de S. Paulo mostravam que Dilma votou a favor da compra da refinaria, no Estado americano do Texas, que depois foi confirmado pela presidente.

Aécio ironizou as explicações da presidente sobre o valor da compra, que teria sido feita 1500% acima da quantia de mercado. Em 2006, a estatal havia pago US$ 360 milhões por metade da refinaria, que um ano antes havia sido adquirida pela belga Astra Oil por US$ 42,5 milhões. Para piorar, em 2009, a Petrobras foi obrigada a comprar os 50% restantes, pagando mais US$ 839 milhões. 

Durante o discurso, Aécio pediu ainda que a aquisição seja investigada. O tucano afirmou que a presidente Dilma faz uma "gestão temerária" da estatal e que a transação se tratou de uma "negociata" além de ser a mais "ruinosa e mais lesiva operação feita pela empresa". Ele ainda afirmou que durante os últimos anos, a empresa, juntamente com a Eletrobras (ELET3; ELET6), perdeu mais de US$ 100 bilhões.

Ainda segundo o senador, Dilma e os outros integrantes do conselho administrativo devem dar explicações sobre o negócio. "A resposta dada pela presidente não é suficiente, não permite que os brasileiros conheçam as motivações dessa negociata", criticou.

Assuntos relacionados: Aécio Neves Dilma Rousseff

Deixe seu comentário