Por logo-reuters Em mercados  16 fev, 2016 11h07

Dólar vai acima de R$ 4 por incertezas locais, apesar de petróleo e China

Investidores temem que o governo se afaste do rigor fiscal que vem prometendo desde o ano passado diante da profunda recessão econômica e das turbulências políticas

Por logo-reuters Em mercados  16 fev, 2016 11h07

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançava acima de 4 reais nesta terça-feira, com investidores apreensivos com as incertezas políticas e econômicas no Brasil, mas a alta dos preços do petróleo e das bolsas chinesas limitava a alta da moeda norte-americana.

Às 11h07, o dólar avançava 0,40%, a R$ 4,0125 na venda e R$ 4,0109 na compra, após atingir R$ 4,0123 na máxima e R$ 3,9925 reais na mínima. O dólar futuro ganhava 0,25 por cento.

"Faz sentido buscar proteção (no dólar) em um cenário de incertezas locais como o atual, apesar do fluxo de estrangeiros ser positivo", disse o superintendente regional de câmbio da corretora SLW João Paulo de Gracia Correa.

Investidores temem que o governo se afaste do rigor fiscal que vem prometendo desde o ano passado diante da profunda recessão econômica e das turbulências políticas.

As preocupações locais se contrapunham ao contexto externo favorável nesta sessão, onde a recuperação dos preços do petróleo alimentava a demanda por moedas como os pesos mexicano.

A alta das ações chinesas à máxima em três semanas era outro motivo de alívio, com investidores recebendo bem declarações do premiê do país, Li Keqiang, acenando para a possibilidade de novos estímulos se a economia desacelerar mais.

"Os mercados financeiros globais continuam melhorando", escreveram analistas do banco Brown Brothers Harriman em nota a clientes, referindo-se à profunda aversão ao risco que vinha marcando o início deste ano.

Operadores ressaltavam ainda que o mercado voltava a ganhar volume nesta sessão, após o pregão de liquidez reduzida na segunda-feira devido ao feriado do Dia dos Presidentes nos Estados Unidos, que manteve os mercados locais fechados.

Nesta manhã, o Banco Central fará mais um leilão de rolagem dos swaps que vencem em março, que equivalem a 10,118 bilhões de dólares, com oferta de até 11,9 mil contratos.

Dólar
(Marcos Santos/USP Imagens)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Contato