Em mercados / bitcoin

Entenda por que o maior evento de criptomoedas do mundo pode fazer o Bitcoin disparar

Em sua quarta edição, evento foi coincidiu com uma arrancada da criptomoeda após todas as suas edições

Criptomoedas
(Shutterstock)

SÃO PAULO - Começa nesta sexta-feira (11) a "Blockchain Week" em Nova York e a maior criptomoeda do mundo pode ver uma arrancada em seus preços, segundo alguns analistas, podendo recupera o nível psicológico dos US$ 10 mil.

"O risco regulatório, o risco fundamental em torno do que está acontecendo com os criptosativos atingiu um nível mais baixo e agora estamos em estado de recuperação geral", disse Robert Sluymer, diretor administrativo e estrategista técnico da Fundstrat Global Advisors, para a CNBC.

O evento, que termina apenas no dia 17, conta com a presença de alguns dos maiores nomes - e potenciais impulsionadores - do mundo das criptomoedas, como James Bullard, presidente do Federal Reserve de St. Louis, Eva Kaili, membro do Parlamento Europeu, e Jack Dorsey, CEO do Twitter, entre muitos outros.

Em 2015, a primeira Semana Blockchain teve 1.500 pessoas presentes. A participação no ano seguinte quase dobrou para 2.700 participantes. Este ano, o evento deverá atrair cerca de 8.000 pessoas, metade das quais vindas de fora dos Estados Unidos.

Sluymer explica que, historicamente, o preço do bitcoin teve forte alta todos os anos após a realização do Consensus, um dos maiores eventos da "Blockchain Week". Em 2015, a moeda digital subiu 23% após o evento. "Não é um valor enorme considerando que os criptos são voláteis", disse ele. "Mas depois disso ela subiu até o final do ano mais 100%", conclui.

O Bitcoin também subiu em 2016, cerca de 10%, após o Consensus, e mais 80% até o fim do ano, disse Sluymer. No ano passado, por sua vez, a maior criptomoeda do mundo teve uma disparada de 69% após o evento. Este ano o Consensus ocorre na próxima segunda-feira (14).

Quer ficar por dentro de tudo do mundo das criptomoedas, com análises exclusivas de um dos pioneiros do mercado? Clique aqui e assine o relatório CryptoInsights

Contato