Em mercados / bitcoin

Gráfico da IOTA, a moeda que surpreendeu o mercado nos últimos dias, indica alta de mais de 100%

A moeda ganhou força nos últimos dias após anunciar parceria com a Microsoft; do início de novembro para cá, a valorização acumulada já é de 900%

SÃO PAULO - Depois apontar no final de novembro que o Bitcoin poderia testar os US$ 14.390 no curto prazo (patamar ultrapassado neste pregão), o analista técnico Rodrigo Cohen, da Rico Investimentos, lança suas projeções para a IOTA, a moeda digital que surpreendeu o mercado nas últimas semanas após disparar mais de 900% do início de novembro para cá - movimento intensificado no final do mês passado, junto com o anúncio de que a criptomoeda se associou a Microsoft, Samsung, Fujitsu e outras gigantes mundiais para a criação de um mercado de negociação de dados. 

Negociando atualmente a US$ 3,9264 - depois de sair dos US$ 0,37 no começo de novembro -, Cohen acredita que a IOTA deve passar por uma forte correção no curto prazo, mas, passado isso, os gráficos apontam caminho livre para atingir os US$ 8,12 como começo da projeção de alta, o que representa uma valorização de 106% frente à cotação atual. 

Pela retração de Fibonacci - mesmo indicador usado pelo analista para projetar a alta do bitcoin (veja aqui) -, a IOTA deve passar primeiro por uma correção até os US$ 3,25, que, se perdido, a lançaria para os US$ 2,74 e, posteriormente, os US$ 2,10. Veja o gráfico abaixo:

O analista menciona ainda que a IOTA - por usar uma tecnologia superior ao blockchain (usada pelo Bitcoin) e não ter custos transacionais (atraindo muitos investidores) além de ter fechado parceria com diversas empresas de tecnologia - vem crescendo muito nos últimos dias. Ontem, ela foi a criptomoeda mais negociada atrás apenas do Bitcoin. A capitalização já atinge os US$ 11,11 bilhões, aparecendo como a quarta moeda digital em valor de mercado

Tecnologia
(Shutterstock)

Contato