Em mercados / agro

Jogos Olímpicos são oportunidade para promoção de produtos agrícolas brasileiros

Evento internacional é vitrine para mostrar produtos agrícolas nacionais aos turistas, como amendoim, café e cachaça

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro são oportunidade para promoção do agronegócio brasileiro. Pela magnitude internacional do evento, a Olimpíada é vitrine para mostrar ao mundo produtos agrícolas nacionais, especialmente os beneficiados, de maior valor agregado. E é com esta expectativa que três segmentos específicos apostam nos jogos como importante ocasião de ativação de negócios.

O segmento do amendoim, por exemplo, projeta elevar as vendas de produtos derivados da leguminosa em até 25% no período olímpico, informa a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab).

Segundo o vice-presidente da entidade, André Guedes, colocar os produtos ao alcance do consumidor no momento certo é o melhor marketing que pode ser feito. De acordo com o dirigente, o amendoim é um produto genuinamente brasileiro e de baixo custo e que tem alto consumo nos momentos de confraternização. “E a Olimpíada proporciona momentos como esse.”

Pesquisa encomendada pela Abicab, realizada pelo Datafolha, aponta que cerca de 88% da população brasileira consome a leguminosa. Para 63% dos entrevistados, o amendoim pode ser incluído em dieta e 71% acreditam que ele faz muito bem à saúde.

Cachaça e café

Outro setor que aposta nos jogos para aquecer os negócios é o da cachaça. “A entrada de turistas no Brasil coloca em destaque a cachaça. A bebida tem um forte apelo comercial junto aos estrangeiros e os empresários estão empenhados em fortalecer o vínculo do produto à ideia de bebida valorizada e de alta qualidade”, afirma Alexandre Bertin, presidente da Confraria Paulista da Cachaça, associação de fomento ao consumo do produto.

Segundo dados da Associação Brasileira de Bebidas (Abrape), a cachaça tem apresentado crescimento no mercado internacional, sendo o terceiro maior destilado do mundo. A bebida também ocupa posição de destaque no mercado nacional, no qual o volume corresponde a 50% no segmento de destilados. É o segundo maior mercado de bebidas alcoólicas no Brasil, atrás apenas da cerveja.

De acordo com o Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac), são 40 mil produtores e quatro mil marcas de cachaça no mercado nacional. O Ibrac estima que a capacidade instalada no Brasil é de 1,2 bilhões de litros/ano.

Por sua vez, o café estará representado na Olimpíada por uma grande empresa do segmento, o Grupo 3 Corações,  que obteve selo de fornecedor oficial de café torrado e moído dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos Rio 2016. “O período dos Jogos é um momento único”, diz Roberta Prado, gerente de cafés da 3 Corações. A empresa prevê que irá servir mais de três milhões de doses de café na Vila dos Atletas. 

café

Contato