Em mercados / acoes-e-indices

Ibovespa tem dia de realização com exterior, mas encerra semana em alta de 1,44%

Com queda deste pregão, índice segue respeitando resistência dos 86 mil pontos

Bovespa - mesa - corretores - mercado financeiro
(Divulgação/BM&FBovespa)

SÃO PAULO - Após uma sequência de dois pregões de forte alta e outro praticamente estável, o Ibovespa teve uma sessão de realização de lucros nesta sexta-feira (20), acompanhando o menor apetite a risco dos investidores visto nas bolsas internacionais. O benchmark da bolsa brasileira fechou em queda de 0,32%, a 85.550 pontos, distanciando-se da importante resistência dos 86 mil pontos, que chegou a ser testada dias atrás. Mesmo com o recuo deste pregão, o índice acumulou alta de 1,44% na semana. O giro financeiro negociado na B3 nesta sexta foi de R$ 8,70 bilhões.

O bom desempenho do índice na semana acompanhou o movimento das commodities no mercado internacional. Mesmo com a mudança na metodologia do Ibovespa, que deu peso maior ao setor financeiro, o desempenho destes produtos nas bolsas mundiais tinha impacto relevante nas oscilações do benchmark. Por outro lado, também há outro efeito negativo da valorização das commodities, que explica o desempenho do dólar. A moeda americana fechou em alta de 0,6% ante o real nesta sexta-feira, cotada a R$ 3,4117 na venda.

Devido à forte alta das commodities no mês, cresce a expectativa por um aumento da inflação em todo o mundo, uma vez que os combustíveis são componente importante de impacto sobre os preços nos mais distintos setores da economia, sobretudo no caso dos alimentos. Diante disso, economistas e analistas estão prevendo um aumento dos preços nos EUA, o que poderia elevar a probabilidade de o Federal Reserve elevar os jutos mais rapidamente e reduzir liquidez do mercado.

Prova disso foi o movimento dos Treasuries norte-americanos de 10 anos, cujos yields avançaram sensivelmente nesta sessão enquanto os principais índices acionários caíram. Os benchmarks Dow Jones, S&P 500 e Nasdaq encerraram a sexta-feira com queda de até 1,2%, o que acabou contaminando o mercado acionário global. Uma perspectiva de elevação nos juros norte-americanos naturalmente provoca reprecificação de outros ativos.

Destaques da Bolsa

Do lado acionário, mais uma vez os papéis da BRF (BRFS3) se destacaram na ponta positiva do Ibovespa. Na semana, as ações BRFS3 subiram 17%, em meio à notícia de que Pedro Parente, CEO da Petrobras, também passaria a exercer a função de chairman na companhia. Já as maiores perdas foram da Eletrobras (ELET6) que, mesmo com o decreto assinado pelo presidente Michel Temer representando um novo passo para a privatização, a visão que se desenha é que está cada vez mais difícil que o projeto passe no Congresso este ano.

As maiores baixas, dentre as ações que compõem o Ibovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 HYPE3 HYPERA ON 33,60 -6,41 -3,66 197,18M
 ELET6 ELETROBRAS PNB 21,45 -4,24 -5,51 60,23M
 ELET3 ELETROBRAS ON 18,07 -4,14 -6,57 81,62M
 CSNA3 SID NACIONALON 9,09 -1,94 +8,47 297,80M
 BBSE3 BBSEGURIDADEON 27,48 -1,86 -0,43 62,33M

As maiores altas, dentre os papéis que compõem o Ibovespa, foram:

 Cód. Ativo Cot R$ % Dia % Ano Vol1
 BRFS3 BRF SA ON 25,37 +4,96 -30,68 206,11M
 VVAR11 VIAVAREJO UNT N2 32,61 +4,52 +33,27 74,47M
 MRFG3 MARFRIG ON 8,24 +3,39 +12,57 20,61M
 EMBR3 EMBRAER ON 23,50 +3,21 +17,61 107,16M
 MGLU3 MAGAZ LUIZA ON ED 96,91 +2,68 +21,14 119,05M

As ações mais negociadas, dentre as que compõem o Ibovespa, foram:

 Código Ativo Cot R$ Var % Vol1 Vol 30d1 Neg 
 PETR4 PETROBRAS PN 22,36 +0,72 1,37B 1,03B 47.115 
 VALE3 VALE ON 47,63 -0,42 483,54M 665,90M 16.753 
 CSNA3 SID NACIONALON 9,09 -1,94 297,80M 66,58M 10.433 
 ITUB4 ITAUUNIBANCOPN 50,89 -0,22 291,83M 520,68M 14.245 
 BBDC4 BRADESCO PN 34,26 -1,41 255,36M 404,49M 18.550 
 BRFS3 BRF SA ON 25,37 +4,96 206,11M 171,54M 20.544 
 ABEV3 AMBEV S/A ON 23,43 -0,30 197,50M 302,08M 14.254 
 HYPE3 HYPERA ON 33,60 -6,41 197,18M 76,37M 17.672 
 BBAS3 BRASIL ON 37,62 -1,10 195,72M 343,30M 12.067 
 USIM5 USIMINAS PNA 11,25 -1,75 166,82M 104,36M 15.106 

* - Lote de mil ações
1 - Em reais (K - Mil | M - Milhão | B - Bilhão)
IBOVESPA

Inflação baixa evita estrago

O movimento de correção do Ibovespa foi limitado pelo resultado do IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15) de abril, que marcou aceleração de 0,10% para 0,21% na passagem de março para abril. O número, contudo, veio abaixo das projeções do mercado, que apontavam para alta de 0,25%. Na comparação anual, o índice ficou estável em 2,80%, permanecendo abaixo da meta de inflação de 3%.

Notícias do dia

Em destaque no noticiário desta sexta-feira, o presidente Michel Temer tem previsão de fazer um pronunciamento em rede nacional de rádio e TV na noite, segundo a assessoria do Palácio do Planalto ao G1. A fala do emedebista foi gravada na quarta no Palácio da Alvorada e deve trazer uma mensagem de otimismo e destacar medidas adotadas durante a sua administração. Enquanto isso, o jornal O Estado de S. Paulo destaca que Temer começou a abandonar o discurso de candidato. Em conversas reservadas, passou a defender um nome único do centro para o Planalto com perfil que agrade ao mercado.

Atenção ainda para as impressões sobre o encontro no PSB do possível presidenciável Joaquim Barbosa, ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Ele disse que ainda não decidiu se será candidato para as eleições. Apesar de afirmar que "não é candidato ainda" e que ainda falta muita coisa, Barbosa comemorou os bons números da última pesquisa Datafolha, quando apareceu com entre 8% e 10% das intenções de voto: "para quem não frequenta ambiente público, não dá entrevista, está muito bom", afirmou o ex-ministro do STF. Os partidos têm até 15 de agosto para apresentarem o registro dos candidatos.

Em entrevista para o Estadão, FHC (Fernando Henrique Cardoso) disse que está tranquilo com a situação do ex-governador de São Paulo, já que ainda estamos a seis meses das eleições e muita coisa pode mudar neste meio tempo: “geraldo é um corredor de maratona, não de 100 metros. Às vezes, você vai correr maratona e sai com velocidade de 100 metros e queima na largada”, assim afirmou o ex-presidente.

Questionado sobre os outros candidatos na corrida presidencial, o ex-presidente não deixou de comentar sobre o perfil de Jair Bolsonaro (PSL/RJ). Segundo ele, o deputado carioca não representa nem a direita nem a esquerda, mas sim tem um pensamento "atrasado". Sobre o ex-ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Joaquim Barbosa, que está ganhando cada vez mais espaço na corrida pela Presidência, FHC diz que ele ainda é uma incógnita e não acredita que somente seu sucesso como juiz será suficiente para ser presidente.

Contato