Em mercados / acoes-e-indices

Petrobras recebe mais R$ 654 mi recuperados pela Lava Jato, 6 recomendações, Vale e mais destaques no radar

Confira os destaques do noticiário corporativo desta quinta-feira (7)

SÃO PAULO - O noticiário corporativo é bastante movimentado, com destaque para as falas do CEO da Vale mostrando confiança sobre o futuro da companhia em entrevista ao Valor, enquanto o Safra iniciou cobertura para construtoras e a Estácio foi elevada pelo Santander. Três notícias agitam o radar de Petrobras, entre outros destaques. Veja no que se atentar nesta quinta-feira (7):

Vale
Eduardo de Salles Bartolomeo foi nomeado diretor executivo para o segmento de Metais Básicos da Vale, em substituição a Jennifer Anne Maki, segundo comunicado.

Bartolomeo cumprirá cumprirá prazo de gestão de 1 de janeiro de 2018 até 26 de maio de 2019. “Eduardo Bartolomeo terá como principais desafios tornar o negócio de Metais Básicos sustentável, com geração de caixa positiva no longo prazo”, diz Vale no comunicado.

Ele trabalhou na Vale de 2007 a 2012 liderando diversos departamentos, sendo inclusive diretor executivo das Operações de Fertilizantes e Carvão e de Marketing, segundo o comunicado, sendo membro do Comitê Estratégico da entre setembro de 2016 e outubro de 2017. É membro do conselho de administração desde setembro de 2016 e membro dos comitês financeiro e de conformidade e risco desde novembro de 2017.

Já em entrevista ao Valor, o CEO da mineradora, Fabio Schvartsman, afirmou que a Vale deverá se transformar na empresa de mineração que vai gerar mais valor para seus acionistas entre as grandes mineradoras mundiais. Para Schvartsman, o desempenho estará ligado a quatro pilares: melhoria da governança, a partir da migração para o Novo Mercado da B3, no dia 22 deste mês; ganhos de performance, estratégia clara e bem definida e maior cuidado com questões de sustentabilidade. Ele também demonstrou otimismo a curto prazo com a demanda chinesa.

Petrobras
Faltando ainda uma semana para o fechamento da bilionária oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da BR Distribuidora, da Petrobras, a demanda pelas ações da companhia está forte e já atinge 70% da oferta, isso considerando o piso da faixa indicativa de preço, estipulada de R$ 15 a R$ 19, afirma a coluna do Broad, do Estadão. Uma das explicações pelo interesse dos investidores foi o desconto em relação às ações da Ultrapar, que é dona da bandeira Ipiranga. Os recursos da oferta irão inteiramente ao caixa da Petrobras. Procuradas pelo jornal, BR e Petrobras não comentaram.

No radar da estatal, a Petrobras anunciou o corte do preço do diesel em 2,2%, enquanto manteve a gasolina. Os preços são válidos a partir de 8 de dezembro. 

Por fim, a companhia informou que  recebeu cerca de R$ 654 milhões por
meio de acordos de colaboração celebrados com pessoas físicas e
jurídicas no âmbito da Operação Lava Jato. Com isso, total de recursos transferidos desde o início da operação soma R$ 1,476 bilhão. 

"A companhia, que é reconhecida pelas autoridades como vítima dos atos desvendados pela Operação, seguirá adotando medidas jurídicas contra empresas e pessoas, inclusive ex-funcionários e políticos, que causaram danos financeiros e à imagem da companhia", diz ela em comunicado.

Recomendações
O noticiário corporativo também é movimentado por conta das recomendações de ações. O Safra iniciou cobertura para diversas ações do setor de construção. Direcional, Even, Tenda foram iniciadas como ’outperform’ por Safra, com preços-alvos respectivos de R$ 7,50, R$ 6,60 e R$ 22,10, enquanto Helbor e Tecnisa foram iniciadas como neutra, com preços-alvos respectivos de R$ 2,20 e R$ 2,50. Já a Estácio foi elevada a ’compra’ por Santander, com preço-alvo de R$ 36. 

Banrisul
o governo gaúcho decidiu adiar a realização da oferta de ações do Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul) em razão das condições atuais do mercado. Em Fato Relevante, o banco afirma que a intenção do governo de realizar a venda de ações permanece, e as condições do mercado continuarão sob observação.

Na última segunda-feira, 4, a ação PNB do banco subiu mais de 7% após o BTG Pactual ter enviado a clientes um e-mail relatando conversas com vários profissionais do mercado, e que estes deram o diagnóstico de que a oferta não aconteceria esse ano.

 Na semana passada, a Coluna do Broadcast noticiou que a operação gerava críticas, já que gestores calcularam que a venda de uma fatia minoritária pertencente ao Estado gaúcho em bolsa sairia a um preço correspondente a 80% do valor patrimonial da instituição financeira, ao passo que uma eventual alienação para um investidor estratégico poderia render duas vezes mais.

 

BTG Pactual
Segundo fonte ouvida pela Bloomberg, o BTG Pactual prepara captação externa com títulos 5 anos. A precificação é esperada para esta quinta-feira. A emissora é o Banco BTG Pactual, atuando por meio de sua unidade de Luxemburgo. As avaliações esperadas são: Ba3/BB- (Moody’s/Fitch). Os coordenadores são : BB Securities, Bradesco BBI, BTG Pactual, Citi, DB, MS, UBS e o montante ainda não foi definido, segundo a fonte. 

(Com Agência Estado)

Petrobras
(Alf Ribeiro / Shutterstock.com)

Contato