Em mercados / acoes-e-indices

Em busca de maior aproximação da empresa que é acionista? Reuniões da Apimec podem facilitar o caminho

Encontros são boas oportunidades para conhecer melhor a companhia e tirar dúvidas sobre o negócio

SÃO PAULO - Com o início da temporada de resultado do terceiro trimestre na semana passada, pelo menos onze empresas já agendaram reunião com analistas e investidores entre outubro e novembro, segundo informações divulgadas pela Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais).

O pontapé inicial será dado pela Duratex (DTEX3), que às 17h00 (horário de Brasília) desta segunda-feira (30) realizará reunião com o mercado para falar de seus resultados e perspectivas - mais informações sobre datas, locais e horários podem ser encontradas clicando aqui.

Empresa Data Cidade Horário
Duratex (DTEX3) 30/10 São Paulo (SP) 17h00
Transmissão Paulista (TRPL4) 31/10 São Paulo (SP) 09h15
Fras-le (FRAS3) 7/11 São Paulo (SP) 09h00
Energias do Brasil (ENBR3) 8/11 São Paulo (SP) 13h30
Santander (SANB11) 8/11 Campinas (SP) 19h30
Lojas Renner (LREN3) 9/11 Porto Alegre (RS) 9h00
BR Insurance (BRIN3) 10/11 São Paulo (SP) 10h30
Marfrig (MRFG3) 14/11 São Paulo (SP) 09h00
MRV (MRVE3) 16/11 Belo Horizonte (MG) 19h00
Gerdau (GGBR4) 23/11 São Paulo (SP) 09h00
Rodobens (RDNI3) 30/11 São Paulo (SP) 09h00

As reuniões são encontros promovidos pelas empresas, com possibilidade de parceria com a própria Apimec, com o intuito de aproximar as empresas, analistas, grupos investidores e até pessoas físicas interessadas em ingressarem no setor. Assim como as teleconferências após a divulgação de resultados trimestrais, esses eventos funcionam como uma espécie de "prestação de contas" das companhias para com aqueles que nelas apostaram. Para participar, basta se cadastrar e pagar uma taxa de R$ 50,00 na recepção do evento, caso não seja associado Apimec - associados têm livre acesso.

Apesar de alguns traços em comum entre reuniões Apimec e teleconferências pós-divulgação de resultados, há diferenças que precisam ser levadas em consideração, apontou o presidente da Apimec, Ricardo Tadeu Martins, em entrevista ao InfoMoney. Martins afirmou que as teleconferências são limitadas por não serem presenciais e costumam atrair apenas analistas que cobrem a empresa, ao passo que as reuniões podem fazer com que companhias ganhem "novos analistas" pelo contato pessoal entre ela e o profissional de investimento: "é um ambiente em que você tem muito mais tempo para discutir. Além disso, a Apimec não se restringe a resultados recentes, também envolve o controle da empresa, a composição de capital social, dividendos, responsabilidade, entre outros", explicou Martins, que também é analista.

O presidente da associação afirmou que houve uma mudança no perfil de quem frequenta as reuniões Apimec ao longo dos 40 anos em que elas são realizadas: “a reunião passou a ter um apelo educativo no sentido de o investidor que está chegando ao mercado poder aprender nas reuniões”. Segundo ele, este é um ambiente muito propício para trocar ideias com analistas, tirar dúvidas, avaliar indicadores e estabelecer contato com outros investidores, além de poder ter um contato mais próximo com a própria empresa.

Prestação de contas
A transparência é uma das principais exigências para uma companhia de capital aberto. Além da divulgação de resultados trimestrais e a apresentação de documentos com a posição consolidada dos principais membros das sociedades anônimas, elas precisam realizar ao menos uma espécie de reunião por ano, não necessariamente com a Apimec.

Apesar da não obrigatoriedade, grande parte das empresas e RIs (Relação com Investidores) optam por realizar suas reuniões em conjunto com a Apimec não só pela força da associação, mas também pela praticidade que ela oferece, como um alcance muito maior de divulgação entre os participantes do mercado, já que estamos tratando de um dos órgãos reguladores.

Reunião de negócios
(Shutterstock)

Contato