Em mercados / acoes-e-indices

Justiça adia assembleia de credores da Oi, renúncias no conselho da JBS e uma "má notícia" para a ex-OGX

Confira os destaques corporativos do after market desta sexta-feira 

Oi - Bloomberg
(Paulo Fridman/Bloomberg)

SÃO PAULO - Quatro notícias ganharam atenção no radar corporativo após o fechamento do pregão desta sexta-feira (20). Nos destaques, renúncias no conselho de administração da JBS; a Justiça adiou a assembleia de credores da Oi; e a Barra Energia quer Dommo Energia fora de campo em Santos. 

Confira abaixo os destaques do after market desta sexta-feira:

Petrobras (PETR3; PETR4)
A Petrobras informou que decreto exclui as participações minoritárias detidas pela companhia no capital social da Deten Química e da Braskem do PND (Programa Nacional de Desestatização), publicado ontem no Diário Oficial da União. 

Com a edição do decreto, todas as ações detidas pela Petrobras em tais sociedades que se encontravam formalmente bloqueadas pelo Fundo Nacional de Desestatização passam a ficar livres e desembaraçadas para eventual alienação, em conformidade com a estratégia definida no Plano de Negócios e Gestão, diz a empresa em comunicado enviado ao mercado. 

JBS (JBSS3)
O egípcio Tarek Farahat, escolhido para presidir o conselho de administração da JBS após o afastamento do empresário Joesley Batista, em maio, renunciou hoje ao cargo. Em seu lugar, assumirá o irlandês Jeremiah O'Calleghan, que também é diretor de relações com investidores da empresa.

Executivo com passagem por várias empresas do ramo alimentício, Norberto Fatio também renunciou à vaga que ocupava no conselho. Eleito pelos controladores, Fatio será substituído por Wesley Batista Filho.

Além disso, no radar da JBS, a empresa confirmou hoje que chegou a um acordo para reabrir sete frigoríficos de bovinos no Mato Grosso do Sul. Os frigoríficos da companhia estão fechados desde a última quarta-feira. Os abates serão retomados na terça-feira (24). 

Oi (OIBR4)
O juiz Fernando Viana, da 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, decidiu adiar por 15 dias a AGC (Assembleia Geral de Credores) prevista para a próxima segunda-feira. O encontro agora deve ocorrer na segunda-feira do dia 6 de novembro. Essa é a segunda vez em que a assembleia, que iria discutir o plano de reestruturação da companhia, é adiada. A Oi pretendia reunir cerca de 55.000 credores para discutir novo plano. 

A decisão, diz o jornal, ocorreu após pedido de adiamento formulado por credores que ocupam a maior parte da dívida da empresa, como Banco do Brasil, BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Caixa Econômica Federal, Bradesco, BNP Paribas, HSBC, Capricorn Capital, Goldentree, Dstressed Funda, entre outros.

Dommo Energia (DMMO3)
A petroleira Dommo Energia, ex-OGX, informou nesta sexta-feira que recebeu de sua sócia Barra Energia uma notificação comunicando sua intenção de exigir que a empresa se retire completamente do bloco BS-4, onde estão os campos de Atlanta e Oliva, na Bacia de Santos, devido a sua inadimplência. A empresa diz que a saída se daria sem qualquer oferta de pagamento de preço ou de indenização. Atualmente, a Dommo Energia detém participação de 40% no bloco BS-4, em parceria com Queiroz Galvão Exploração e Produção (QGEP3), operadora do bloco, e com a Barra Energia, ambas com 30%.

Na quarta-feira, a Dommo informou ao mercado que seu Conselho de Administração aprovou um acordo para a venda de 30% da participação da empresa no bloco BS-4 para a subsidiária do Grupo Seacrest. O negócio, de cerca de US$ 60 milhões, faria parte da estratégia da companhia para equalizar valores junto às demais sócias do ativo e também para reforçar o caixa da empresa.

(Com Agência Estado e Bloomberg)

Contato