Em mercados / acoes-e-indices

Mercado Livre perde mais de US$ 1 bilhão na bolsa com notícia de expansão da Amazon no Brasil

Na véspera, notícia já tinha abalado as ações da B2W e do Magazine Luiza na bolsa brasileira

SÃO PAULO - A notícia de que a Amazon está prestes a expandir a sua atuação no Brasil não levou somente à forte queda das ações de B2W (BTOW3) e Magazine Luiza (MGLU3) no final do pregão da última quarta-feira (veja mais clicando aqui). Outras concorrentes da gigante americana despencaram nos mercados internacionais por conta da notícia. 

As ações do Mercado Libre (o nome do Mercado Livre na Nasdaq) fecharam em baixa de 10,28%, a US$ 246,26, na Nasdaq, enquanto o Casino, sócio da Via Varejo (VVAR11), fechou em baixa menor, mas ainda expressiva, de 2,33% (49,31 euros) na Bolsa de Paris. Com a baixa de hoje, o Mercado Livre perdeu incríveis cerca de US$ 1,2 bilhão de valor de mercado, passando de US$ 12,12 bilhões para US$ 10,87 bilhões de uma sessão para outra. 

A Bloomberg informou no final da tarde de ontem que a Amazon.com está recrutando para vários posições no Brasil, sinalizando que o varejista on-line poderia expandir sua presença no maior mercado da América Latina além da venda de livros online.  Os recentes postos de trabalho da gigante no Brasil incluem gerente de operações tributárias, que se concentraria em "processos fiscais, compliance e documentação para novas iniciativas/lançamentos de empresas. "Outra posição é um gerente de de produto que supervisionaria "lançamentos de grandes novidades em lançamentos ", diz a notícia. 

Mais tarde, o jornal Valor Econômico informou que a Amazon começará a vender aparelhos eletrônicos no Brasil já no dia 18 de outubro (quarta-feira da próxima semana).  A reportagem afirma ainda que a Amazon deve optar por essa data para chegar com ofertas agressivas para conquistar o público brasileiro já durante a Black Friday deste ano.

Em relatório, a analista da Goldman Sachs, Irma Sgarz, apontou que a expansão da Amazon para o Brasil teria impactos negativos para o Mercado Livre, entre outras empresas de comércio eletrônico que operam no país. Sgarz acredita que a fatia de mercado e o volume bruto de mercadorias diminuirão e que essas empresas terão que oferecer mais incentivos, como frete grátis, para atrair consumidores.

Veja mais em: Magazine Luiza e B2W precisam temer expansão da Amazon no Brasil?

Amazon
(Jonathan Weiss / Shutterstock.com)

Contato