Em mercados / acoes-e-indices

Prepare-se para a "superquarta": veja os 4 eventos que podem trazer turbulência ao mercado

Atenção especial para a reunião do Fomc, que será divulgada às 15h e deve trazer uma elevação dos juros nos EUA; o InfoMoney fará uma cobertura especial a partir das 14h50, mostrando a reação em tempo real do mercado

Traders
(Bloomberg)

SÃO PAULO - O pregão da próxima quarta-feira (14) tem tudo para ser o mais importante do mercado nesta semana. Isso porque uma série de eventos pode trazer uma volatilidade extra à bolsa, com atenção em especial à reunião do Fomc (Federal Open Market Committee), que deve trazer uma alta na taxa de juros nos Estados Unidos.

Veja abaixo o que será destaque no pregão de amanhã: 

Fomc
O destaque fica com a decisão da reunião do Fomc, que será revelada às 15h (horário de Brasília). A expectativa é por uma alta de 25 pontos-base na taxa de juros dos Estados Unidos.

Por conta da forte volatilidade que normalmente esse evento provoca na bolsa, o InfoMoney fará uma cobertura especial da reunião a partir das 14h50. O analista Alison Correia, da XP Investimentos, comentará em tempo real a reação do mercado e as possíveis oportunidades no dólar. 

O comunicado do Fomc deve ser, como sempre, objeto de expectativas, ainda que a maioria dos investidores não mostre apreensão com o ajuste dos juros, que, na visão do mercado, deve seguir gradual. Vale destacar que esta é uma das reuniões conhecidas como "3 em 1", onde além da decisão também serão apresentadas as novas projeções do Federal Reserve e terá uma coletiva da presidente Janet Yellen.

Estoques de petróleo
O mercado estará de olho também na divulgação dos estoques de petróleo nos Estados Unidos, que derrubaram as ações da Petrobras na semana passada, após virem piores do que o esperado. O indicador será revelado pela Agência de Energia dos EUA às 11h30 (horário de Brasília). Hoje, o American Petroleum Institute (API) reportou que os estoques da commodity cresceram em 2,75 milhões na semana encerrada em 9 de junho, contra expectativa do mercado de queda de 2,7 milhões de barris no período. 

China
A China também aparece no radar dos investidores. Por lá, serão divulgados os dados de vendas do varejo, produção industrial e investimentos fixos urbanos - importantes para monitorar o ritmo de atividade do mês de maio. Os indicadores serão revelados às 23h (horário de Brasília) de hoje e devem repercutir no mercado amanhã. 

"Fatores técnicos"
Atenção também para dois fatores técnicos que podem contribuir para a volatilidade na bolsa amanhã: 1) o vencimento dos contratos futuros do Ibovespa. O próximo contrato a entrar em vigor é o INDQ17, com vencimento em agosto (clique aqui e acompanhe a cotação desses contratos); 2) o feriado de Corpus Christi na quinta-feira, que manterá a bolsa fechada. Para fugir de potencial volatilidade nesse período, muitos investidores optam por fechar suas posições, o que ajuda a tirar liquidez do mercado. Vale lembrar que embora a B3 vá ficar fechada na quinta, o investidor poderá ficar atento aos ADRs das companhias brasileiras no exterior, já que Wall Street irá funcionar normalmente. 

Será que vem mais correção por aí?
Vale menção ainda para uma análise da última segunda-feira do analista Rodrigo Cohen, da Rico Corretora, que apontou para a possibilidade de uma correção mais forte do Ibovespa no curto prazo. Para ele, os contratos futuros do índice tem espaço para cair até os 59.860 pontos esta semana, alertando como um reforço a "superquarta", que pode trazer forte volatilidade ao mercado e ajudar a potencializar esse movimento negativo, caso ocorra (veja aqui a análise completa).

Contato