Em mercados / acoes-e-indices

Justiça nega liminar e Eike terá R$ 900 milhões em bens bloqueados

O relator do processo no Tribunal, o desembargador federal Messod Azulay, destaca que a ampliação foi determinada por causa de uma denúncia contra o réu, recebida em fevereiro do ano passado

SÃO PAULO - O desembargador federal Messod Azulay, da Segunda Turma Especializada do TRF2, negou nesta quarta-feira (24) o pedido de liminar apresentado pela defesa de Eike Batista contra a ampliação do bloqueio de bens. A medida, determinada pela Vara Federal Criminal do Rio, amplia de R$ 162 milhões para R$ 900 milhões os valores bloqueados do empresário na Justiça. 

O relator do processo no Tribunal, o desembargador Azulay, destacou que a ampliação foi determinada por causa de uma denúncia contra o réu, recebida em fevereiro do ano passado. O Ministério Público Federal acusa o empresário de manipulação de mercado, que teria causado prejuízo de R$ 14 bilhões em uma operação envolvendo negociação de barris de petróleo. 

Eike Batista
(Fernando Frazão / Agência Brasil )

Contato