Em mercados / acoes-e-indices

Principal ETF brasileiro desaba 10,5% após denúncia de gravação contra Temer

Por representar as principais ações do Ibovespa, este ativo se torna um bom indicador do que esperar do mercado na sessão de amanhã

SÃO PAULO - É bom o investidor se preparar. A sessão na B3 promete ser de caos nesta quinta-feira (17) após a denúncia de que o dono da JBS, Joesley Batista, gravou o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio de Eduardo Cunha.

Em Nova York, o ETF (Exchange Traded Fund) EWZ iShares MSCI Brazil Capped, que representa os papéis com maior peso no Ibovespa, desabava 10,58% às 20h49 (horário de Brasília). Por se tratar das principais ações do índice, este ativo se torna um bom indicador do que esperar do mercado na sessão de amanhã.

Segundo o jornal, o executivo disse que Temer indicou o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS). Posteriormente, Rocha foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil enviados por Joesley.

Temer também ouviu do empresário que estava dando a Eduardo Cunha e ao operador Lúcio Funaro uma mesada na prisão para ficarem calados. Diante da informação, Temer incentivou: "Tem que manter isso, viu?". Joesley disse ainda que pagou R$ 5 milhões para Cunha após sua prisão.

gráfico queda
(Shutterstock)

Contato