Em mercados / acoes-e-indices

A onda de recuperação judicial ainda não passou - o próximo alvo serão as empresas de grande porte

Segundo Fábio Astrauskas, CEO da Siegen, é natural que, com a retomada da economia, essa onda diminua, mas ela ainda deve atingir empresas de porte ainda maior, que são aquelas que conseguiram aguentar a crise por mais tempo

SÃO PAULO - "Não há uma indústria de recuperação judicial no Brasil, mas há uma necessidade muito grande das empresas em entrar nesse processo", disse Fábio Astrauskas, CEO da Siegen, empresa oferece gestão estratégica de negócios, em entrevista ao InfoMoney. Segundo ele, é natural que, com a retomada da economia, essa onda diminua, mas ela ainda deve atingir empresas de porte ainda maior, que são aquelas que conseguiram aguentar a crise por mais tempo, mas que agora estão vendo o gás acabar. 

Durante a entrevista, Astrauskas comentou ainda sobre alguns processos em curso - como o caso Oi -, além de falar sobre as expectativas que os investidores podem ter em relação às empresas que estão em recuperação judicial. 

Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Contato