Em mercados / acoes-e-indices

Embraer é investigada por propina no exterior e tem recomendação cortada; Petrobras e mais 10 notícias

Confira os principais destaques corporativos da manhã desta segunda-feira

Embraer ERJ-175
(Wikimedia Commons)

SÃO PAULO - O radar corporativo aparece movimentado nesta segunda-feira (1), que tem dia agitado para Embraer. A empresa é investigada por propina no exterior, segundo informações da Folha, e teve sua recomendação cortada pelo HSBC. Já a mexicana Alpek pode gerar até US$ 700 milhões por ativos petroquímicos da Petrobras, enquanto a ação PN da Oi terá direito a voto a partir de abril de 2017, disse o Valor. 

Confira abaixo os principais destaques corporativos desta segunda-feira:

Embraer
A Embraer (EMBR3) teve sua recomendação rebaixada de compra para manutenção pelo HSBC. A revisão ocorre após as ações da companhia fecharam em queda de 15,45% na última sexta-feira, com resultado e também com informações sobre propinas pagas a uma autoridade na República Dominicana.

Segundo reportagem de A Folha de S. Paulo, um delator afirmou ao Ministério Público que a cúpula da companhia autorizou pagamento de suborno a uma autoridade na República Dominicana durante negociações para venda de oito aviões Super Tucano, entre 2008 e 2009. O jornal cita que a empresa pagou US$ 3,5 milhões de propina ao coronel aposentado da Força Áerea Carlos Piccini Nunez, que dirigia a área de projetos especiais do Exército dominicano na época. O caso foi descoberto pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que informou a empresa e as autoridades brasileiras sobre os delitos em 2010. 

Petrobras 
A mexicana Alpek pode gerar até US$ 700 milhões por ativos petroquímicos da Petrobras (PETR3, PETR4), disse uma fonte com conhecimento direto do assunto à Reuters nesta sexta-feira. A estatal anunciou na quinta-feira o início de um período de exclusividade de 60 dias para negociar com a Alpek a venda da PetroquímicaSuape e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco, conhecida como Citepe. O período de exclusividade é prorrogável por outros 30 dias. A Petrobras não comentou o assunto à Reuters. A Alpek não respondeu a um e-mail pedindo comentários.

A gestão da companhia segue focado na venda de ativos, na redução do endividamento, em fazer caixa (com o elevado prêmio de gasolina e diesel) e um dólar mais baixo tem ajudado a empresa a “melhorar” seu caixa, comentou a equipe de análise da XP Investimentos. "Esses são fatores positivos para o ativo, que vem apresentando forte desempenho nos últimos meses e deve permanecer com tendência positiva", disseram.

Gol 
Está marcada para a próxima terça-feira (2) a votação no Senado do projeto que fixa em 12% a alíquota máxima de ICMS, que pode incidir sobre querosene de aviação. Desde que o projeto começou a tramitar na Câmara, as ações da Gol tiveram altas expressivas. Originalmente, o projeto deveria ter sido votado no mês passado, mas foi adiado por falta de acordo para concluir a votação. 

Vale
A Samarco, joint venture entre a Vale (VALE3; VALE5) e a BHP Billiton, estuda a reutilização do Vale do Fundão - área de Mariana (MG) onde uma barregem rompeu em novembro como reservatório de rejeitos de minério, segundo informações de A Folha de S. Paulo. A alternativa foi apresentada pela empresa em um estudo de impacto ambiental elaborado em junho, sete meses depois da tragédia em Mariana. 

Sabesp
A Sabesp (SBSP3) propõe uma nova mecânica para a renovação da outorga do Sistema Cantareira, em que a água não utilizada será "poupada" e pode ser usada futuramente pela região que a economizou, na mesma proporção. Nessa proposta, a água é dividida na entrada e contabilizado o gasto de cada região (Grande São Paulo ou região de Campinas/rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí - PCJ), calculando-se periodicamente o saldo descontado do volume utilizado.

Em julho, todos os seis mananciais administrados pela Sabesp tiveram queda no nível da água. O Cantareira encerrou julho com 76,1% da capacidade de armazenagem, quando considerado o volume morto. Sem levar em conta essa reserva, o nível opera em 46,1% da capacidade. No sistema Guarapiranga, o nível da água caiu de 92,7% para 84%. No Rio Claro, o nível ficou em caiu 15,4 pontos porcentuais, ficando em 84,7%. No Alto Tietê, o nível recuou de 47,6% para 44,1%. O manancial Rio Grande recuou de 84,2% para 78,0%.

Hypermarcas
A Superintendência-Geral do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) propôs que a operação de venda do negócio de preservativos da Hypermarcas (HYPE3) para a Reckitt Benckiser (RB) seja impugnada. A transação, envolvendo a Nances Holdings, subsidiária da Hypermarcas, e a RB, foi anunciada em janeiro deste ano e está avaliada em R$ 675 milhões. Para sustentar tal parecer, a área técnica do Cade alega problemas de concentração no mercado de lubrificantes íntimos, além de uma forte relação entre as marcas deste segmento com os produtos vendidos no mercado de preservativos masculinos. 

Banco do Brasil
A Operação Lava Jato investiga o pagamento de propinas em cinco contratos com o Banco do Brasil (BBAS3) de fornecimento de softwares e serviços de informática, que somados ultrapassam os R$ 150 milhões, segundo informações de O Estado de S. Paulo. É a primeira frente da Lava Jato de investigação em contratos do BB, desde que a operação foi deflagrada, em março de 2014, em Curitiba. Até aqui, negócios da Caixa Econômica Federal (CEF) e do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estavam sob suspeita.

O BB, por meio de sua assessoria de imprensa, informou neste sábado, 31, que o Conselho Diretor “determinou a realização imediata de auditoria interna dos principais contratos da área de tecnologia, firmados desde 2008”. 

Oi
A ação preferencial da Oi (OIBR4terá direito a voto a partir de abril de 2017, assim que o balanço deste ano e as contas da administração forem aprovadas pelos acionistas em assembleia geral ordinária, segundo o Valor Econômico

Além disso, a Société Mondiale pede a convocação de nova assembleia para decidir sobre a anulação da permuta realizada com a Portugal Telecom (atual Pharol), aprovada em março de 2015, disse a companhia em fato relevante. A acionista também pede uma ação de responsabilidade por atos ilícitos praticados contra a companhia pela Pharol, na subscrição da oferta pública encerrada em maio de 2015. O dano seria principalmente em razão da transferência de ativos superavaliados e/ou insubsistentes nessa integralização. O investidor propõe, ainda, ação de responsabilidade contra o Santander, que foi o avaliador dos ativos na operação, e contra administradores e ex-administradores da Oi, entre eles Zeinal Bava. 

Log-In
A Log-In (LOGN3) anunciou reestruturação de R$ 426 milhões em dívidas com bancos. Os f
inanciamentos da companhia passam a contar com prazo total de 60 meses, com 24 meses de carência do principal, segundo o comunicado enviado ao mercado. A dívida foi renegociada com BB, Santander, Itaú Unibanco e HSBC. As "taxas de juros se mantiveram em linha com os custos médios de captação da companhia nos últimos 12 meses", disse a empresa. A Log-In realizará Assembleia Geral Extraordinária em 17 de agosto para deliberar sobre emissão de debêntures, segundo a convocação. 

OSX Brasil
A OSX Brasil (OSXB3) informou que Paulo Narcélio Amaral foi eleito presidente do conselho de administração. 

Cetip
A Cetip (CTIP3) informou que interesse em resgatar debêntures deverá ocorrer até 1° de fevereiro. A companhia 
optou por assegurar aos debenturistas o direito de resgate das debêntures, segundo comunicado enviado ao mercado.

Os debenturistas deverão manifestar interesse na realização do resgate das debêntures entre 1° de agosto de 2016 e 1° de fevereiro de 2017. As debêntures serão resgatadas pelo valor nominal unitário acrescido da remuneração e quaisquer outros encargos devidos e não pagos pela companhia. O valor de resgate será pago em 8 de dezembro de 2016 para debêntures com resgate solicitado entre 1° de agosto e 31 de outubro; e em 8 de março de 2017 para o resgate entre 1° de novembro e 1° de fevereiro de 2017. 

“O não recebimento da Solicitação de Resgate pelo Debenturista do total ou parte de suas Debêntures durante o Prazo de Solicitação de Resgate será considerado como uma manifestação de desinteresse, por parte de referido Debenturista, no resgate das Debêntures, implicando, portanto, na manutenção da titularidade das Debêntures”, disse a companhia. 

Eletrobras
A decisão dos acionistas da Eletrobras (ELET3; ELET6) de não renovar as concessões de suas seis distribuidoras de energia no Norte e Nordeste deve acelerar a venda dessas empresas e ao mesmo tempo garantir um movimento mais rápido de recuperação econômico-financeira da estatal, na avaliação de especialistas e analistas ouvidos pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado.

"Foi uma decisão histórica e pautada em uma análise econômica", disse o professor Nivalde de Castro, coordenador do Grupo de Estudos do Setor Elétrico (Gesel) da UFRJ, a respeito do resultado da Assembleia Extraordinária de Acionistas realizada na última sexta-feira (22). "Foi uma decisão mais racional do que fazer o aporte de R$ 8 bilhões", acrescentou.

Ele lembrou que o segmento de distribuição - no qual a Eletrobras deve deixar de operar com a venda das distribuidoras - "é uma fonte perpétua de prejuízo, motivada, na origem, pela incapacidade de gestão eficiente por conta da interferência político-partidária, em nível federal ou estadual", disse.

Também para o analista da HaitongSergio Tamashiro, a decisão mostrou ainda uma mudança de foco do comando da companhia, deixando para trás uma agenda de governo para olhar o que é melhor para a empresa. "Só de tirar o resultado negativo dessas distribuidoras" do balanço da Eletrobras "já é positivo", acrescentou.

Contato