Em mercados / acoes-e-indices

"Susto" do Netflix em clientes provoca derrocada de 15% nas ações após resultado

Número de assinaturas desacelera com aumento nas mensalidades e papéis desabam nos EUA

SÃO PAULO - A desacleração no número de novos assinantes do Netflix no segundo trimestre de 2016 fez com que os investidores fugissem das ações da companhia que oferece planos de assinatura para usuários assistirem a filmes e séries online. No after-market da bolsa de Nova York os papéis do Netflix recuam nada menos do que 13,72% a US$ 85,47 às 19h12 (horário de Brasília), chegando a desabar 15% na mínima pós-fechamento do pregão regular. 

No trimestre passado, a empresa teve 1,52 milhão de adesões a seu serviço fora dos Estados Unidos, contra a expectativa mediana dos analistas de 2,1 milhões. O menor número de assinaturas foi atribuído ao aumento dos preços. No Brasil, o plano de duas telas que custava R$ 16,90 passou para R$ 19,90, enquanto o plano de duas telas com HD saiu de R$ 19,90 para R$ 22,90. O plano de quatro telas com HD e Ultra HD foi de R$ 26,90 para R$ 29,90. 

O mercado esperava que o Netflix ganhasse 532 mil novos assinantes nos EUA, mas ele conseguiu apenas 160 mil nesse mercado. 

Netflix - Bloomberg
(Bloomberg)

Contato