Em mercados / acoes-e-indices

Má notícia para siderúrgicas, possível PAC às construtoras e mais 9 destaques no radar

Confira os principais destaques corporativos desta terça-feira

fundição 1
(Peter Andrews/Reuters)

SÃO PAULO - O noticiário corporativo segue movimentado nesta terça-feira (5), passado o pregão de "sell-off" na véspera, puxado por pessimismo sobre a China. Nos destaques, a Petrobras deve rescindir contrato de aluguel do edifício Torre de Almirante, no centro do Rio de Janeiro, segundo o jornal O Globo

A companhia informou que a desmobilização do prédio é "decorrente da realocação de atividades e da força de trabalho para outros prédios da companhia". 

Siderúrgicas
Segundo informações do Valor, relatório técnicos do governo se posicionaram contra o aumento da alíquota do Imposto sobre Importação do aço. O grupo foi criado no início de dezembro para estudar os impactos possíveis da elevação da tributação. Para técnicos, a crise pela qual o setor passa não está relacionada ao aumento das importações. 

Para analistas do BTG Pactual, a notícia é negativa e reduz a possibilidade de sair algum tipo de ajuda para o setor. "Muitos acham que sem ajuda, o setor pode sofrer muito mais", comentaram, embora tenham ressaltado que a decisão final ainda não foi tomada. O relatório ainda vai ser analisado pela presidente Dilma e ministros.

Os analistas avaliam, no entanto, que a decisão é bem política e, recentemente, vários setores consumidores de aço (setor de linha branca, automotivos, entre outros) já deram declarações relatando a dificuldade que o setor está passando, o que pode pesar na decisão. 

Já prevendo que a medida não passasse o UBS cortou na véspera o preço-alvo das ações da Usiminas (USIM5), que caíram 6% ontem, de R$ 2,10 para R$ 1,65, reiterando recomendação de venda. As demais ações de siderúrgicas listadas na Bolsa também caíram, embora em menor proporção. 

Veja mais: Cuidado onde pisa, investidor: siderúrgicas não terão trégua em 2016, mas vendidos podem ser pegos "de calças curtas"

Construção civil
Segundo notícia de O Estado de S. Paulo, a presidente Dilma prepara medidas para estimular o setor de construção civil. Nas discussões do governo para apresentar programa de estímulo à economia já se fala em "novo PAC", diz o jornal. No entanto, o início de ano turbulento nos mercados financeiros impõe cautela ao Planalto para não descuidar nem afrouxar o ajuste fiscal, aponta a Folha de S. Paulo, citando avaliação de assessores presidenciais. Dilma prometeu receber representantes da bancada do PT, que pressiona por uma guinada na economia, para discutir propostas da sigla para recuperação da economia, comenta o Valor. 

Klabin
As ações da Klabin (KLBN11) caíram forte ontem (-6%), mas analistas do BTG Pactual apontaram que não veem muito no lado do fundamento para justificar essa queda. A única notícia relacionada ao setor foi o anúncio da aquisição de duas empresas de embalagem pela Smurfit Kappa (uma das líderes globais em produção de embalagem).

Os analistas do banco citaram que falaram com a Klabin, que disse não ver razão para queda da ação por conta dessa notícia, uma vez que esse mercado é altamente fragmentado e a consolidação é positiva para preço. Além disso, a preocupação com aumento de concorrência não parece fazer sentido uma vez que o acordo é pouco representativo (5% mercado). Outra explicação seria um movimento técnico com investidores buscando "pair trades" no setor, como Fibria (FIBR3) e Suzano (SUZB5) versus Klabin.

Gol e Smiles
As ações da Gol (GOLL4) e Smiles (SMLE3) tiveram suas recomendações rebaixadas pelo Deutsche Bank para "manutenção". 

Log-In
A Manabi informou ontem que apresentou ao Conselho de Administração da Log-In (LOGN3) proposta para subscrever no mínimo 51% do capital social e votante da companhia de logística. A operação seria realizada por meio de aumento de capital, sem qualquer pagamento aos acionistas. Nos últimos dois pregões, as ações da companhia dispararam 39%. 

Entre as condições para realização do negócio, está prevista a exclusão da poison pill (cláusula para desencorajar ofertas hostis) do estatuto social da Log-In. O estatuto social da companhia prevê que um acionista que atingir fatia de 35% das ações Log-In deverá realizar oferta pública de aquisição de ações (OPA) da totalidade dos papéis da empresa. A Reuters informou sobre a intenção da Manabi, empresa de mineração e logística, de adquirir o controle da Log-In na semana passada.

RaiaDrogasil
A RaiaDrogasil (RADL3) informou que encerrou 2015 com 141 novas lojas, totalizando 1.232 estabelecimentos. No total, a companhia abriu 156 novas lojas, mas fechou 15 ao longo do ano. Com isso, o número de abertura de lojas ficou acima da projeção de aberturas brutas, que era de 145 lojas. A drogaria reiterou o guidance de 165 aberturas brutas em 2016 e 195 em 2017.

Suzano
A Suzano (SUZB5) passou a deter 38% da Ibema após conclusão de acordo.  

Contax
A Contax (CTAX11) convocou titulares das debêntures da 2ª série da 1° emissão para reunião em 19 de janeiro, às 11h15 (horário de Brasília), para propor a aprovação, pelos credores financeiros, do alongamento do perfil de parte substancial das dívidas representadas por operações financeiro e/ou contratadas no mercado de capitais. A assembleia também avaliará proposta de alteração no controle da companhia resultante da conversão de suas ações preferenciais em ordinárias, do fim do acordo de acionistas da CTX Participações ou da realização de aumento de capital de R$ 200 milhões, a ser realizado até 30 de abril.

JSL 
O Conselho de Administração da JSL (JSLG3) aprovou o pagamento de dividendos intermediários de R$ 200 milhões. 

OSX Brasil
A OSX Brasil (OSXB3) informou que Mauro Lucio Abreu de Lima é o novo diretor financeiro e de relações com investidores da companhia. 

Contato