Em mercados / acoes-e-indices

As 8 "small caps" que driblam a forte queda na Bolsa hoje; confira

Ações da Paranapanema disparam mais de 10% após balanço do terceiro trimestre, enquanto os papéis da Magazine Luiza sobem mais de 6% e atingem maior patamar desde setembro

SÃO PAULO - Em dia predominantemente negativo na Bolsa, 8 ações driblam esta segunda-feira (3) de mau humor no mercado e dão sequência aos fortes ganhos dos últimos pregões. Em comum, boa parte das ações estão fora do radar dos investidores e fazem parte das empresas "small caps" da Bovespa. Nennhuma da lista faz parte do Ibovespa, principal índice de ações da Bolsa, que registrava às 16h30 (horário de Brasília), queda de 2,86%, a 53.067 pontos. Confira os principais destaques abaixo:

Paranapanema
Uma das maiores altas do dia é do papel da Paranapanema (PMAM3), que registra valorização de 10,34%, a R$ 2,48 - batendo o maior patamar desde o início de setembro -, após divulgação do resultado do terceiro trimestre. Em dois dias, a valorização acumulada soma 20%. A companhia anunciou na última sexta-feira que reverteu no período o prejuízo registrado no primeiro semestre e teve lucro líquido de R$ 131 milhões. Em comunicado ao mercado, a empresa também informou que o volume de vendas teve aumento de 12,4% no terceiro trimestre em relação ao período anterior. Segundo a Paranapanema, esse resultado influenciou no aumento de 13,6% na receita líquida, que fechou o período a R$ 1.283 milhões.

Magazine Luiza
Outra ação que sobe forte hoje é da Magazine Luiza (MGLU3), que registra valorização de 6,06%, a R$ 8,75, atingindo o maior patamar desde setembro. Essa é a sexta alta em sete pregões. Os papéis dão continuidade a arrancada iniciada no pregão pós-reeleição de Dilma Rousseff. Além disso, as ações ganharam força depois da divulgação do resultado, na última quinta-feira. A empresa de móveis e eletrodomésticos registrou avanço anual de 65,8% no lucro líquido do terceiro trimestre, a R$ 42,1 milhões, beneficiada por aumento de vendas e melhorias operacionais no período. 

Brasil Pharma e Profarma
A lista ainda contempla as ações das redes de farmácias Brasil Pharma (BPHA3) e Profarma (PFRM3), que apresentam hoje sua terceira e segunda altas seguidas na Bolsa, respectivamente. Nesta sessão, os papéis registram valorização de 4,41% e 3,67%, nesta ordem, a R$ 3,79 e R$ 11,29.    

Smiles
Disparam também as ações da Smiles (SMLE3), com valorização de 6,21% neste pregão, a R$ 45,49. Do fechamento do dia 24 de outubro até hoje, a alta acumulada é de 18%. Essa é a quinta alta em seis pregões, quando os papéis renovam sua máxima histórica. A companhia divulgou na última quinta-feira lucro de R$ 59,6 milhões no terceiro trimestre, queda de 5,4% na comparação com o mesmo período de 2013. Segundo o BB Investimentos, a companhia voltou aos trilhos do crescimento após forte impacto da Copa do Mundo no resultado do segundo trimestre. 

CSU CardSystem
A CSU CardSystem (CARD3) sobe pelo sexto pregão consecutivo, acumulando no período ganhos de 15,25 e atingindo o maior patamar desde abril de 2013. Do dia 21 de julho para cá, a valorização dos papéis é de 99,45%. 

Indústrias Romi
A Indústrias Romi (ROMI3) dá sequência às altas iniciadas na última terça-feira e sobem 3,49%, a R$ 3,56, nesta sessão. No período, os papéis acumulam valorização de 11,7%.

Fertilizantes Heringer
Além delas, chama atenção ainda as ações da Fertilizantes Heringer (FHER3), com valorização de 2,55%, a R$ 6,44. Do fechamento do dia 23 até hoje, a alta dos papéis é de 18%. Esse é o terceiro pregão seguido de ganhos.  

Contato