Em mercados / acoes-e-indices

JBS vai às compras nos EUA e Petrobras tem dia agitado; veja mais destaques

Entre os destaques, conselho da Hypermarcas aprova linha de crédito de R$ 620 milhões com o BB e Eucatex pretende pagar juros sobre capital previsto para hoje no fim do ano

Vale Rio de Janeiro 2 - mineração - logística
(Agência Vale)

SÃO PAULO - O noticiário corporativo movimenta a manhã desta terça-feira. A Vale (VALE3; VALE5) informou a um jornal local ontem que não tem planos de encerrar suas atividades de níquel em Nova Caledônia em meio à agitação social causada por um vazamento de efluentes. 

O diretor-executivo da Vale, Peter Poppinga, disse que estimava danos ao local de mineração de pelo menos US$ 20 milhões a US$ 30 milhões, incluindo a destruição de caminhões e equipamentos de mineração. O governo da província do Sul da Nova Caledônia ordenou a suspensão imediata das operações no início de maio e ainda precisa comunicar sobre quando a Vale poderá retomar suas atividades.

Petrobras
O mercado ficará atento também ao depoimento da presidente da Petrobras (PETR3; PETR4), Maria das Graças Foster, na CPI (Comissão Parlamentar Inquérito) da Petrobras, no Senado, nesta terça-feira às 10h15 (horário de Brasília). Será a segunda vez que a principal executiva da estatal comparecerá no Congresso para explicar denúncias de irregularidades na empresa, como a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, e acusações de suborno pela empresa SMB.

Além disso, chama atenção no noticiário da empresa a notícia de que o acionista minoritário Romano Allegro questionou a independência dos novos conselheiros escolhidas para o Comitê de Auditoria, citando que o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tem um processo sancionador justamente por participar do conselho sem ser um representante legítimo dos acionistas minoritários. Em abril, a estatal havia comunicado à SEC, que a ministra Miriam Belchior e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, serão novos membros do comitê de auditoria da empresa. 

Por último, o Ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, afirmou ontem, após o lançamento do Plano Safra da agricultura familiar, que a presidente Dilma Rousseff anunciará na quarta-feira mudanças no marco regulatório do biodiesel. Além de beneficiar essa indústria e produtores de culturas que servem como matéria-prima para a produção de biocombustível, como a soja, a ampliação da mistura seria uma forma de socorrer a Petrobras, já que a necessidade de importação de diesel da empresa seria menor.

JBS
A Pilgrim's Pride Corporation (PPC), empresa americana controlada da JBS (JBSS3) com 75% das ações, apresentou nesta terça-feira (27), nos Estados Unidos, proposta não vinculante para comprar 100% das ações da Hillshire Brands, por aproximadamente US$ 6,4 bilhões. O montante ofertado corresponde a US$ 45 por ação, o que representa um prêmio de 25% sobre o preço médio dos papéis da Hillshire Brands negociados após o anúncio da aquisição da Pinnacle pela Hillshire. 

Em comunicado, a JBS informa que a aquisição está alinhada com a estratégia global da empresa de reforçar sua presença no segmento de produtos de valor agregado, com marcas líderes em seus mercados, que oferecem conveniência e praticidade aos seus consumidores. 

A Hillshire Brands é uma das líderes no mercado americano de alimentos preparados a base de carnes, com receita anual de aproximadamente US$ 4 bilhões. A companhia tem em seu portfólio marcas como Jimmy Dean, Ball Park, Hillshire Farms, State Fair, Sara Lee, Aidells, Gallo Salame e outras.

Usiminas
O Conselho de Administração da siderúrgica Usiminas (USIM5) aprovou a captação de até R$ 850 milhões e contratação de linha de crédito rotativa de R$ 300 milhões, conforme programa de refinanciamento, segundo ata de reunião realizada em 15 de maio.

Os recursos serão usados para refinanciar dívidas com vencimento em 2014 e a captação "faz parte do programa normal de gestão da dívida da companhia", afirmou a empresa por meio de sua assessoria de imprensa.

A captação ocorrerá via operações bancárias e não por debêntures, acrescentou a companhia. No final do primeiro trimestre, a relação dívida líquida sobre Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Usiminas foi de 1,7 vez ante 1,9 vez no final de 2013.

Hypermarcas
O Conselho Administração da Hypermarcas (HYPE3) aprovou a contratação de linha de crédito de até 620 milhões de reais com o Banco do Brasil (BBAS3), de acordo com ata de reunião realizada nesta segunda-feira.

O montante poderá ser sacado em até 18 meses e utilizado em até duas tranches, entre 100 milhões e 620 milhões de reais. O prazo do financiamento é de 48 meses, com juros de 111 por cento da taxa DI ao ano.

Saraiva
A Saraiva (SLED4) comunicou lançamento do ‘Saraiva Prepara’, mais um negócio de sua plataforma de aprendizagem colaborativa e desenvolvida em parceria com a Adaptativa, empresa de inteligência educacional. Segundo o vice presidente de negócios editoriais da companhia, Maurício Fanganiello “o Saraiva Prepara visa à preparação de estudantes para exames, concursos e carreiras públicas".

Segundo ele, a novidade marca a entrada da Saraiva no mercado educacional B2C (business to consumer), ou seja, voltado diretamente para o consumidor, enquanto que até o momento a empresa focava apenas no B2B (business to business).

Segundo o comunicado, a plataforma de aprendizagem colaborativa já conta com cursos para o Exame da OAB (Ordem Unificado da Ordem dos Advogados do Brasil). A Saraiva destaca a alta demanda por esses cursos preparatórios, ressaltando que, segundo o MEC, curso de Direito tem o segundo maior contingente de alunos no ensino superior no Brasil.

Atualmente, a plataforma ‘Saraiva Prepara’ oferece cursos on-line para as 1ª e 2ª fases da OAB, sendo que o curso voltado para candidatos da 2ª fase promove a interação entre alunos e professores para a resolução conjunta de determinados problemas ou questões e a criação das peças prático-profissionais exigidas pelo Exame de Ordem.

A novidade faz parte da estratégia da Saraiva de criar e distribuir conteúdo, tecnologia e serviços em qualquer formato e dispositivo, para que possam estar acessíveis aos clientes em qualquer hora e qualquer lugar.

Even
A Even Construtora e Incorporadora (EVEN3), com atuação em São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Minas Gerais, anunciou na noite de ontem que concluiu em 22 de maio uma captação de R$ 150 milhões por meio de uma operação estruturada envolvendo a emissão de duas séries de certificados de recebíveis imobiliários - CRIs, os quais foram distribuídos no mercado.

Segundo a empresa, os recursos obtidos por meio da operação serão utilizados para a construção e o desenvolvimento de empreendimentos imobiliários residenciais. O valor de principal da operação será amortizado em uma única parcela, em 6 de maio de 2024, e a remuneração incidente sobre o valor principal será paga semestralmente. A operação poderá ser objeto de uma ou mais repactuações, tendo sido fixada a primeira data para repactuação em 06 de maio de 2017, mediante proposta da Companhia neste sentido sujeita a concordância dos investidores, desde que mantida e respeitada a data de vencimento final dos CRIs.

Eucatex
O conselho de administração da Eucatex (EUCA3) quer adiar para o final do ano o pagamento de juros sobre capital próprio que estava previsto para esta terça-feira (27). Para isso, os conselheiros da fabricante de painéis de madeira convocaram uma assembleia geral extraordinária de acionistas sobre a proposta de adiamento do pagamento para hoje. A decisão ocorre depois que a empresa foi impedida de distribuir R$ 18,3 milhões em JCP, conforme determinação da 7ª Vara Federal de Execuções Fiscais de São Paulo. Em resposta à BM&FBovespa na véspera, a empresa disse que iria recorrer. Para a companhia, a decisão foi uma surpresa já que a Eucatex tinha se adiantado e ofertado inúmeros garantias de exequente.

(Com Reuters)

Contato