Em mercados / acoes-e-indices

MP pede explicações à ANP sobre garantia da OGX; Petro terá base em Santos

Também em destaque, está comunicado da Biosev, que afirma que produção será afetada por geada no MT; Guarani, da Tereos, tem novo presidente

OGX Petróleo
(RI OGX)

SÃO PAULO - A semana se encerra com mais um dia de noticiário agitado no mundo corporativo, com destaque mais uma vez para as empresas do grupo EBX, de Eike Batista. O Ministério Público pediu na última quinta-feira (1) à ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis) explicações sobre a garantia dada pela OGX Petróleo (OGXP3), de acordo com informações do jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com a publicação, o promotor Marinus Marsico investigará se houve algum tipo de benefício à companhia de petróleo do grupo EBX.

O MP contestou a decisão da ANP de ter aceitado o pedido da OGX de penhorar o óleo de Tubarão Martelo como garantia aos direitos adquiridos pela empresa no 11º leilão de petróleo, realizado em meados de maio.

O uso de óleo como garantia para investimento já foi usado por outras empresas, mas com campos em produção e reservas provadas. Tubarão Martelo ainda não está em produção e a própria ANP levantou dúvida quanto ao volume produzido. 

Petrobras terá base em Santos
A Petrobras (PETR3;PETR4) deve abrir licitação até o fim do ano para contratar serviços no Porto de Santos, com a contratação de serviços de dois berços do porto que servirão de base de apoio ao abastecimento das plataformas da Bacia de Santos. A previsão é que a empresa contrate os berços até o final deste ano, com início da operação em 2014. 

A companhia também assinará termos de cooperação com a prefeitura da cidade para instalação do Centro de Pesquisa Tecnológica em Petróleo e Gás na Baixada Santista, conforme informou a prefeitura da cidade. A empresa irá investir R$ 77 milhões na construção e aquisição de equipamentos.

O projeto executivo da unidade, que terá cerca de 8.300 m² de área construída, será concluído pela prefeitura até dezembro e as obras devem começar no primeiro trimestre de 2014. As universidades públicas paulistas (USP, Unesp e Unicamp) vão participar da parceria colaborando na gestão do centro de pesquisa, o qual também será utilizado por universidades locais e empresas do Parque Tecnológico de Santos.

Ambev: incorporação de ações
A Ambev (AMBV4) informou, em comunicado ao mercado, que em razão da incorporação da totalidade das ações de emissão, exceto aquelas de propriedade da incorporadora, dará direito ao recebimento por parte de seu titular de cinco ações ordinárias de emissão da Ambev ou cinco ADRs da Ambev, conforme o caso.

Os acionistas da Ambev que não tenham votado favoravelmente à incorporação de ações na assembleia de companhia de bebidas, ocorrida em 30 de julho, poderão exercer o direito de retirada relativamente às ações ordinárias de emissão de Companhia de Bebidas de que sejam, comprovada e ininterruptamente, titulares desde 7 de dezembro, informou a companhia. 

Biosev: geadas no Mato Grosso do Sul afetarão produção
A Biosev (BSEV3) informou aos seus acionistas que, na semana de 22 a 28 de julho de 2013, severas geadas atingiram as regiões central e sul do Mato Grosso do Sul, onde estão localizados os canaviais da Companhia que alimentam as três unidades industriais - Maracaju, Passa Tempo e Rio Brilhante - que compõem seu cluster localizado na região centro-oeste do país.

A companhia afirmou que as temperaturas no Mato Grosso de Sul, que caíram abaixo de 0ºC, afetarão o crescimentodos canaviais atingidos, com potencial redução da moagem das unidades industriais da região. "O efetivo impacto de tal evento meteorológico somente poderá ser mensuradonas próximas semanas, após a análise cuidadosa de nossos canaviais. Assim que disponíveis, informações adicionais acerca deste impacto serão fornecidas ao mercado", informou a companhia.

HRT: registros da TSX atualizados
A HRT Participações em Petróleo (HRTP3) comunicou que os registros da TSX Venture Exchange foram atualizados para refletir a quantidade de GDS (Global Depositary Shares) da HRT atualmente em circulação.

Na véspera, havia 134.353.450 GDSs em circulação. Cada GDS corresponde a metade de uma ação ordinária da HRT.

Neonergia paga dividendos
A Neoenergia anunciou o pagamento de dividendos extraordinários no valor total de R$ 2,05 bilhões, correspondentes a R$ 0,3503892452 por ação ordinária a serem pagos a partir do dia 1 de agosto, com base na posição acionária de 24 de julho. 

Profarma contrata Brasil Plural como formadora de mercado
A Profarma (PFRM3) comunicou ao mercado a contratação da corretora Brasil Plural para exercer a função de formadora de mercado para as suas ações pelo período de 12 meses, prorrogável automaticamente por iguais períodos caso não haja manifestação contrária de qualquer das partes, com o objetivo de fomentar a liquidez das referidas ações. A atividade teve início em 1 de agosto.

Novo presidente da Guarani
A Tereos Internacional (TERI3) informou que a sua controlada, a Guarani, tem novo presidente. Na véspera, Alberto Pedrosa assumiu o comando da empresa.

Alberto Pedrosa substitui Jacyr Costa que foi nomeado membro do Conselho de Administração da Guarani em 13 de março de 2013, e assumiu como membro do conselho executivo da Tereos em novembro de 2012, representando a divisão de cana-de-açucar do grupo. 

"Alberto Pedrosa terá, em especial, a missão de fazer da Guarani uma das empresas mais competitivas do setor, principalmente em termos de custo de produção de açúcar e etanol. Com sua experiência e liderança, dará continuidade ao amplo programa de competitividade 'Guarani 2015/16', lançado há dois anos, que inclui um importante plano de investimento e visa o aprimoramento de desempenho em diferentes itens da cadeia de produção tais como: rendimento agrícola e industrial, mecanização da colheita e custos logísticos", destacou a companhia.

Pedrosa é engenheiro mecânico formado pelo ITA (Instituto de Tecnologia Aeronáutica) e iniciou sua sua carreira em 1976 na Rhône-Poulenc no Brasil.

Fleury divulga resultados
A companhia de prestação de serviços de medicina diagnóstica Fleury (FLRY3) divulgou seu resultado do segundo trimestre após o pregão desta quinta-feira (1). Apesar de a empresa ter registrado crescimento de dois dígitos na receita, o lucro líquido minguou de R$ 32 milhões no segundo trimestre de 2012 para R$ 22 milhões em igual período deste ano - uma queda de 31,5%.

O relatório apontou um aumento de 17,58% nos custos dos serviços, acompanhados pela alta de 24,77% com as despesas operacionais da companhia, gastos que representaram 13% da receita líquida, que foi de R$ 434 milhões - 15,9% maior que a registrada no segundo trimestre do ano passado.

Ainda na linha de custos, a Fleury mostrou alta de 17,98% nos gastos com pessoal e serviços médicos, e crescimento de 24,83% nas despesas com serviços gerais, aluguéis e seviços públicos.

Contato