Em mercados / acoes-e-indices

Prejuízo da LLX cai 30,82% em 2012; veja resultados desde ontem à noite

Lucro da Estácio ficou em R$ 14,9 milhões e avançou 520,8% no último trimestre de 2012; Rodobens também divulga balanço

TX1 - Superporto do Açu
(Divulgação/LLX)

SÃO PAULO - A LLX Logística (LLXL3) apresentou seus resultados de 2012 nesta terça-feira (26), apresentando prejuízo de R$ 36,58 milhões, uma queda de 30,82% frente as perdas de R$ 52,87 milhões de um ano atrás. Desse resultado, R$ 28,66 milhões são atribuíveis ao acionista controlador, Eike Batista, enquanto perdas de R$ 7,91 milhões são atribuíveis aos minoritários. 

Em relação a comparação trimestral, também melhora: o prejuízo caiu de R$ 21,25 milhões para R$ 15,64 milhões - queda de 26,43%. As receitas líquidas de aluguel cresceram bastante de um ano para outro: o pulo dos R$ 15,65 milhões de 2011 para os R$ 68,72 milhões significa um crescimento de 336,23%. Toda essa quantia se tornou lucro bruto. 

As despesas operacionais recuaram levemente, de R$ 139,29 milhões para R$ 137,75 milhões. "O ano de 2012 foi de grandes conquistas quanto à execução da construção do Superporto do Açu. O empreendimento deixou de ser um projeto e tornou-se realidade, estamos com sentimento de orgulho de fazer parte de um time que está ajudando a revolucionar a logística brasileira através da construção do Superporto do Açu", afirma a administração da companhia.

Estácio mostra melhora no lucro
A Estácio (ESTC3) divulgou nesta terça seus resultados do quarto trimestre de 2012, e reportou um avanço de 56,3% em seu lucro líquido, passando de R$ 70,2 milhões para R$ 109,7 milhões. Desse total, R$ 14,9 milhões foi registrado no quarto trimestre de 2012, avanço de 520,8% em relação à um ano antes.

Entre os destaques para os números positivos, a empresa apontou em relatório o número crescente de alunos aderidos ao FIES, programa de financiamento estudantil, atingindo 41 mil estudantes no último ano, sendo que isso ainda deve refletir positivamente nos próximos trimestres. Além disso, as diversas aquisições da companhia em diferente áreas do País colaborou para o aumento de cobertura da Estácio.

A receita líquida da companhia passou de R$ 294,4 milhões no último trimestre de 2011, para R$ 361,7 milhões, uma alta de 22,9%. No acumulado de 2012, a receita fechou em R$ 1,14 bilhão, avançando 20,5%. Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), subiu 114,7%, passando de R$ 22,5 milhões para R$ 48,3 milhões entre os quartos trimestres de 2011 e 2012. No acumulado anual, a alta também foi expressiva, subindo 70,7% e avançando de R$ 123 milhões para R$ 209,9 milhões.

No relatório, a Estácio destacou o ano de 2012 como um ótimo ano, com a companhia colhendo os frutos de "anos fomentando uma cultura de buscar resultados sustentáveis no longo prazo". Além disso, a companhia projeta que a base presencial de graduação em mesmas lojas crescerá entre 10% e 12%.

Rodobens também divulgou resultado
A Rodobens (RDNI3) também divulgou seu balanço trimestral nesta terça, reportando um lucro líquido no quarto trimestre de 2012 de R$ 13,9 milhões, ficando 23% abaixo dos R$ 18,1 milhões apresentados um ano antes. No acumulado do ano, a companhia teve lucro de R$ 84,3 milhões, uma alta de 46% ante os R$ 57,8 milhões de 2011.

Já a receita líquida da empresa, fechou 2012 em R$ 798,6 milhões, avançando 7% na comparação com o ano anterior. Desse total, R$ 145,6 milhões foram reportados no último trimestre do ano, queda de 35% ante os R$ 224,6 milhões do mesmo período de 2011. Além disso, no último ano, o Ebitda da Rodobens ficou em R$ 172,5 milhões, 54% acima dos R$ 105 milhões do ano anterior.

Entre os pontos destacados pela companhia, ficou o cumprimento de sua estratégia de crescimento gradativo de seus negócios, focando em rentabilidade e geração de caixa. Além disso, a evolução do processo de desalavancagem financeira da empresa e de alongamento do perfil da dívida foi outro ponto positivo no período.

Em julho de 2012, a Rodobens realizou o resgate antecipado da 2ª emissão de debêntures da no montante de R$ 150 milhões, e em setembro, o resgate parcial da 1ª emissão de debêntures no valor de R$ 140 milhões. A relação dívida líquida/patrimônio líquido caiu para 38,4% ao final de 2012, contra 72,8% ao final de 2011.

Rossi encerra 2012 com primeiro prejuízo contábil
A Rossi Residencial (RSID3) reportou um prejuízo líquido de R$ 338,37 milhões no quarto trimestre, uma alta de 4.669,1% na comparação com o prejuízo de R$ 7,095 milhões do mesmo período do ano anterior. Já o lucro bruto de R$ 573 milhões em 2012, com queda de 17% na comparação com o mesmo período do ano anterior. De acordo com a companhia, o lucro foi impactado principalmente pelo aumento nos encargos financeiros, rescisão de contratos, desconto na venda de unidades prontas e cancelamento de projetos. 

Já a receita líquida atingiu R$ 367 milhões nos últimos três meses do ano, com queda de 55% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Na base de comparação anual, a queda da receita foi de 4%. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) passou de R$ 34 milhões para um resultado negativo de R$ 252 milhões. Com isso, a margem Ebitda (Ebitda/receita líquida) passou de 4% para -69%.

''A Rossi encerrou 2012 com prejuízo contábil, o que nunca havia ocorrido antes. Porém, estamos certos de que já, no início deste ano, a empresa retomará o caminho da rentabilidade, com mais segurança e maior controle de nossos processos'', avaliou a companhia. 
PDG tem prejuízo
Outra construtora que viu seu resultado negativo aumentar foi a PDG Realty (PDGR3), que apurou 
um prejuízo líquido de 1,79 bilhão de reais no quarto trimestre de 2012, ampliando o resultado negativo de 19,8 milhões de reais obtido um ano antes, em meio a uma detalhada revisão de orçamentos e ajustes contábeis.

A construtora e incorporadora realizou, ao longo de 2012, uma ampla reestruturação das operações, a fim de retornar à rentabilidade. De outubro a dezembro, o Ebitda da empresa ficou negativo em 1,357 bilhão de reais, revertendo geração de caixa operacional de 281,97 milhões em igual etapa de 2011.

Magazine Luiza reverte prejuízo no quarto tri, mas tem prejuízo no ano
Já o Magazine Luiza (MGLU3) registrou um lucro líquido de R$ 9,7 milhões nos últimos três meses de 2012, revertendo um prejuízo de R$ 16,9 milhões do mesmo período do ano anterior. Entretanto, no ano, o prejuízo foi de R$ 6,7 milhões, ante lucro de R$ 11,7 milhões de 2011.
A receita líquida, por sua vez, cresceu 15,2% entre outubro e dezembro de 2012 para R$ 2,61 bilhões, totalizando R$ 9,05 bilhões em 2012, alta de 19,1% na comparação com o ano anterior. O Ebitda ajustado, por sua vez, passou de R$ 107 milhões para R$ 86,6 milhões, uma queda de 19% no trimestre e de 18,7% em 2012. A margem Ebitda ajustada, por sua vez, passou de 5,5% para 3,9% no trimestre e de 5,4% para 3,7% no ano. 

OGX vê prejuízo crescer forte
Outro resultado foi da OGX Petróleo (OGXP3), cujo prejuízo cresceu 130,05% de 2011 para 2012, atingindo R$ 1,17 bilhão no ano passado, comunicou a empresa nesta terça - em comparação feita com números divulgados no balanço de 2011. A companhia terminou o seu primeiro ano produzindo petróleo com uma receita de R$ 325 milhões, sendo que R$ 175 milhões foram no último trimestre. 

O prejuízo do último trimestre foi de R$ 286 milhões. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu os R$ 343 milhões negativos, uma queda de 20%. O caixa da companhia caiu de R$ 5,5 bilhões em 2011 para R$ 3,4 bilhões no final de 2012, uma queda de 43,10% - que pode ser fortalecida em R$ 1 bilhão quando a OGX assim o desejar, por conta do acordo com Eike Batista."A OGX está bem posicionada para enfrentar seus desafios enquanto continuamos desenvolvendo nosso negócio", afirma Luiz Carneiro, diretor presidente da OGX.

Em 2012, a companhia vendeu 2,39 milhões de barris de petróleo, sendo que nos dois primeiros meses de 2013 a companhia já realizou vendas de cerca de metade disso. O Ebitda por barril foi de R$ 72,87 no ano passado, impactado pela terceira carga, que teve Ebitda de "apenas" R$ 33,02 por barril. "Após apenas quatro anos desde sua criação, a Companhia atingiu um marco histórico em 2012 ao iniciar a produção de petróleo no Campo de Tubarão Azul, na Bacia de Campos. Ao longo do ano, atingimos um total de 2,4 milhões de barris entregues a partir do Campo de Tubarão Azul e contabilizamos receita de R$325 milhões", destaca o presidente.

Forjas Taurus: queda no lucro
A Forjas Taurus (FJTA3) viu o seu lucro líquido cair 23% nos últimos três meses de 2012 na comparação com o mesmo período do ano anterior, para R$ 10,7 milhões. O lucro operacional, por sua vez, passou de R$ 28,1 milhões para R$ 19,7 milhões, uma queda de 30%. O Ebitda registrou queda de 9,1% nos últimos três meses de 2012, para R$ 33,5 milhões. 

A receita líquida, por sua vez, foi 12,6% maior, passando para R$ 196,2 milhões. No ano, a receita somou alta de 13,4%, para R$ 701 milhões. Com isso, a margem Ebitda caiu para 17,1% no trimestre, queda de 4,1 pontos percentuais. 

Profarma: alta de 53,6% no lucro em 2012
Por fim, a Profarma (PFRM3) registrou uma queda de 3,9% no lucro líquido do trimestre, para R$ 7,8 milhões. No ano, entretanto, o lucro cresceu 53,6% passando para R$ 40,6 milhões. No trimestre, o Ebitda passou de R$ 24,2 milhões para R$ 18,8 milhões, uma baixa de 22,3% enquanto, no ano, registrou alta de 26,4%, para R$ 92,2 milhões.

A receita líquida, por sua vez, cresceu 6,6% nos últimos três meses de 2012, para R$ 844,8 milhões. No ano, a receita subiu 15,1%. Com isso, a margem Ebitda caiu 0,9 ponto percentual no trimestre, para 2,2%, mas registrou alta de 0,3 ponto percentual em 2012, para 2,9%.

Brasil Insurance: leve avanço do lucro
Durante o pregão desta quarta-feira (27), a Brasil Insurance (BRIN3) apresentou seus dados, registrando uma receita líquida de R$ 66,6 milhões no quarto trimestre de 2012, ante R$ 32,8 milhões um ano antes, representando um avanço de 102,8%. Já no acumulado do ano, a companhia apresentou avanço de 56,8%, fechando o último ano com receita de R$ 227,9 milhões.

O lucro líquido, por sua vez, teve alta de 5,4% entre os dois últimos anos, passando de R$ 106,7 milhões para R$ 112,5 milhões em 2012. Desse total, R$ 33,6 milhões foram registrados no último trimestre, o que representa um avanço de 33,6% ante os R$ 25,1 milhões registrados no mesmo período de 2011.

Contato