Em mercados / acoes-e-indices

Radar: Parceria com Petrobras puxa alta da HRT; Ultrapar e Cosan desabam

Fundo da Marinha garante mais R$ 1,5 bi para OSX; Pet Manguinho pede suspensão de negociações e CPFL avança forte com intenção de adquirir controle do Grupo Rede

Petróleo_Commodity

SÃO PAULO -  Na volta de feriado que manteve a BM&FBovespa fora de negociações na última sexta-feira (12), o Ibovespa registra uma sessão de forte volatilidade no pregão desta segunda-feira (15), operando às 13h00 (horário de Brasília) em leve alta de 0,19%. O mercado digere nesta sessão o noticiário externo e acompanha o vencimento de opções sobre ações, que tende a aumentar a volatilidade na bolsa. 

Entre as notícias em destaque, durante o fim de semana a China mostrou que a inflação em setembro teve leve desaceleração sobre agosto. Já os dados de exportação do país superaram as projeções com um salto de 9,9% no mês, contra os 2,7% de agosto. 

Já nesta segunda-feira, enquanto as vendas no varejo nos EUA avançaram 1,1% em setembro, a atividade manufatureira na região de Nova York desapontou ao mostrar queda de 6,2 pontos. Na agenda econômica local, o mercado acompanha nesta segunda-feira a divulgação do Relatório Focus, que diminuiu a projeção do PIB (Produto Interno Bruto) e da produção industrial para 2012.

Parceria com Petro puxa alta da ação da HRT
Em destaque no noticiário corporativo, as ações da petrolífera HRT (HRTP3, R$ 4,89, +9,64%) disparam no pregão desta segunda-feira impulsionadas pela notícia de que a companhia estaria próxima de firmar uma parceria com a Petrobras (PETR3, R$ 23,42, +0,30%; PETR4, R$ 22,59, +0,40%) para a exploração de gás na bacia de Solimões. 

Em comunicado enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) nesta segunda-feira, a HRT informou que está "conduzindo tratativas" com empresas, tais como a Petrobras, em relação aos estudos de viabilidade técnica e econômica de monetização do gás natural da bacia do Solimões.

Petrobras: pré-sal produz mais que o previsto
Sobre a Petrobras, as explorações do pré-sal, especialmente na Bacia de Santos (litoral norte de São Paulo e sul do Estado do Rio de Janeiro), têm surpreendido a companhia, afirma matéria publicada no O Estado de São Paulo. Segundo a publicação, os primeiros quatro poços do campo estão produzindo 50% a mais do que o previsto.

Ainda sobre a petrolífera, a área de abastecimento está sendo pressionada pela diferença entre os preços praticados no mercado interno e no internacional, a Petrobras ameaça cortar investimentos em projetos bilionários caso o preço da gasolina não seja reajustado nos próximos meses, publicou o jornal O Estado de S. Paulo na sexta-feira (12).

Ações da Ultrapar e Cosan desabam com possível queda no preço da gasolina
Mais um setor tem sido penalizado na bolsa com a possibilidade de intervenção governamental. As ações das distribuidoras de combustível Cosan (CSAN3, R$ 37,34, -3,26%) e Ultrapar (UGPA3, R$ 43,82, -4,74%) lideram as perdas do Ibovespa nesta segunda-feira, diante da expectativa de que o governo reduza os preços da gasolina cobrados na bomba de combustível pela distribuidora BR, forçando as empresas privadas do setor a seguirem o mesmo caminho. 

Ação da CPFL avança forte com intenção de adquirir controle do Grupo Rede
No setor de energia, as ações da CPFL Energia (CPFE3, R$ 2310, +3,45%) aparecem entre as maiores altas do Ibovespa. Na madrugada de quinta-feira para sexta-feira, a companhia anunciou que assinou um memorando em conjunto com a Equatorial Energia (EQTL3, R$ 17,91, +0,22%) para adquirir o controle do Grupo Rede, que está sob intervenção.

Fundo da Marinha garante mais R$ 1,5 bi para OSX, de Eike Batista
Além disso, o FMM (Fundo da Marinha Mercante) garantiu um empréstimo adicional de R$ 1,5 bilhão para a OSX (OSXB3, R$ 12,16, -0,33%), empresa de estaleiros e afretamento do grupo EBX, do empresário Eike Batista. Com este financiamento, os recursos públicos do projeto passam a corresponder a 87,5% do total, afirma a Folha de S.Paulo.

Pet Manguinho pede suspensão de negociações 
Enquanto isso, em virtude de recentes declarações a imprensa do Governador do Estado do Rio de Janeiro sobre sua eventual desapropriação, a Pet Manguinhos (RPMG3; R$ 0,84, +2,44%; RPMG4, R$ 0,66, 0,00%) enviou um requerimento pedindo a suspensão, por prazo indeterminado, da negociação de seus valores mobiliários, "até que se possa proceder com a apuração dos fatos", explica a companhia em nota.

Segundo matéria publicada pelo O Globo no último domingo, após a retomada do Complexo de Manguinhos pelas forças de segurança neste domingo, o governador Sérgio Cabral anunciou um pacote de medidas para recuperar a região. Entre as ações está a desapropriação da Refinaria de Manguinhos — o terreno receberá um bairro-modelo — e a construção de nove mil imóveis populares nos arredores.

Setor elétrico: prazo para interesse por renovações chega ao fim
Também no setor elétrico, termina nesta segunda-feira o prazo estabelecido pelo governo para que as concessionárias de energia manifestem interesse em renovar as concessões com vencimentos entre os anos de 2015 e 2017 - conforme previsto no novo plano do governo para o setor elétrico anunciado em setembro, quando foi publicada a Medida Provisória 579. 

Entre as mais afetadas pelas regras impostas, a estatal federal de energia Furnas, subsidiária da Eletrobras (ELET3; R$ 12,10, +2,89%); ELET6, R$ 17,23, +1,06%), Cesp (CESP6, R$ 20,03, +2,19%) e Transmissão Paulista (TRPL4, R$ 32,46, -0,76%) já manifestaram à Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) interesse por renovar suas concessões. A Celg (GPAR3, R$ 17,00, 0,00%), CPFL e Celesc (CLSC4, R$ 31,30, +0,94%) também estão entre as empresas que já manifestaram interesse pela renovação.

Dufry pretende emitir US$ 500 mi em títulos de dívida
Além disso, a operadora de free shops Dufry (DAGB11, R$ 258,99, +2,77%) informou na sexta-feira que pretende emitir títulos de dívida (senior notes) em um total de 500 milhões de dólares. Os recursos serão utilizados para amortização antecipada de parte de dívida bancária, com vencimento em agosto de 2013.

Eucatex inicia processo de reorganização societária
Já a Eucatex (EUCA3, R$ 7,11, 0,00%; EUCA4, R$ 8,20, +0,99%) informou que, em complemento ao Comunicado ao Mercado divulgado em 10 de maio de 2012, a companhia concluiu os estudos e iniciou processo de reorganização societária com o objetivo de realizar conferência do total de seu acervo líquido ao capital social da ECTX - sociedade cujo capital é detido pela companhia em proporção superior a 99%.

Após conclusão da reorganização, será solicitada autorização para negociação das ações de emissão da ECTX no segmento especial do Novo Mercado.

Tarpon aumenta participação nas ações da Cremer para 49,70%
Por fim, a Cremer (CREM3, R$ 14,30, -0,69%) comunicou ao mercado o recebimento de notificação enviada pela Tarpon Gestora de Recursos informando que o número de ações ordinárias de emissão da Cremer de titularidade dos fundos de investimentos e carteiras sob gestão discricionária da Tarpon atingiu 16.230.900, aumentando de 42,47% para 49,70% do total de ações ordinárias de emissão da Companhia.

Contato