Em mercados / acoes-e-indices

Radar: balanços trimestrais trazem fortes oscilações para ações na bolsa

Papéis da Vanguarda, Randon, Cosan e Mills recuam após balanços; ativos da Unicasa recuam cerca de 30% desde divulgação de números e Estácio tem alta no lucro

Radar
(thinkstockphotos)

SÃO PAULO - Depois de um início de negociação instável, o Ibovespa operava às 13h45 (horário de Brasília) em queda de 0,57% no pregão desta quinta-feira (9). No front externo, o mercado acompanha a agenda norte-americana, com os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos EUA surpreendendo positivamente e a  balança comercial mostrou um déficit de US$ 42,9 bilhões em junho, menor do que os US$ 47,5 bilhões que eram projetados.  

Na China, os números sobre a economia alimentaram expectativas de possíveis estímulos à economia por parte de bancos centrais. O CPI (Índice de Preços ao Consumidor) da China subiu 1,8% em julho com relação ao mesmo mês de 2011. 

Vanguarda Agro lidera perdas após balanço
Já no cenário interno, o destaque permanece na temporada de balanço, com as ações da Vanguarda (VAGR3, R$ 0,37, -5,13%) liderando as perdas pelo Ibovespa, depois de a companhia divulgar que teve um prejuízo nas operações consolidadas, que incluem as áreas agrícola e de biodiesel, de 68,97 milhões de reais no segundo trimestre, contra lucro de 2,85 milhões de reais um ano antes, informou a empresa nesta quinta-feira.

A receita operacional líquida consolidada da empresa foi de 189,7 milhões de reais, queda de cerca de 5% sobre o mesmo intervalo do ano passado.

Balanço da Randon também decepciona
No mesmo sentido, depois da Randon (RAPT4, R$ 8,87, -2,10%) divulgar números decepcionantes para o segundo trimestre e revisar suas projeções, as ações respondem em  queda. A empresa mostrou um prejuízo de R$ 4,7 milhões no segundo trimestre, sendo que as principais linhas do balanço também foram abaixo do que foi visto no início do ano. "Apesar de já esperarmos um fraco resultado para o segundo trimestre, a empresa decepcionou, divulgando números inferiores a tais expectativas", escreve em relatório a equipe de análise da XP Investimentos.

Fras-Le  revisa estimativas de investimentos
A Fras-Le (FRAS3, R$ 12,06, 0,00%), da qual a Randon é controladora, anunciou os resultados operacionais referente ao segundo trimestre e primeiro semestre deste ano e revisou as estimativas de investimento para este ano de R$ 70 milhões para R$ 80 milhões. De acordo com a empresa, alterações no cenário econômico e no desempenho das vendas nos seis primeiros meses deste ano, “motivaram a Fras-le a reapresentar suas estimativas de desempenho para os resultados do exercício de 2012”.

Cosan registra prejuízo líquido de R$ 17,1 milhões
A Cosan (CSAN3, R$ 30,96, -3,10%) terminou o primeiro trimestre do ano fiscal de 2013 com receita líquida de R$ 6,1 bilhões, um crescimento de 18,1% na comparação com o período anterior. A companhia, no entanto, registrou um prejuízo líquido de R$ 17,1 milhões, frente a um lucro de R$ 2,29 bilhões no mesmo período do ano anterior.

A companhia informou ainda que não fará revisão de seu guidance para o exercício fiscal de 2013, apesar do atraso o início da safra 2012/2013, afirmou o gerente de relações com investidores da companhia, Guilherme Machado, durante teleconferência para analistas nesta quinta-feira (9).

Lucro da Eucatex tem queda de 10,5% 
Além disso, o lucro da Eucatex (EUCA3, R$ 7,11, 0,00%) somou R$ 14,3 milhões no segundo trimestre de 2012, o que representa queda de 10,5% em relação ao mesmo período de um ano antes. Por outro lado, o Ebitda (geração operacional de caixa) da companhia subiu 14,3% em bases anuais, para R$ 55,3 milhões. 

Panamericano registra prejuízo
O Banco Panamericano (BPNM4, R$ 4,05, 0,00%) fechou o segundo trimestre de 2012 com prejuízo líquido de R$ 262,5 milhões, mais de dez vezes maior do que o saldo negativo de R$ 25,5 milhões do ano passado. No primeiro trimestre deste ano, o banco havia registrado lucro de R$ 2,9 milhões.

O banco estima que o volume de provisão para créditos de liquidação duvidosa comece a recuar a partir do quarto trimestre deste ano. "Vemos uma estabilidade no provisionamento no terceiro trimestre e ligeira queda nos trimestres posteriores", afirmou o presidente da instituição José Luiz Acar, durante teleconferência com analistas. 

T4F tem lucro de R$ 13,56 milhões
A T4F Entretenimento (SHOW3, R$ 16,68, -1,13%) registrou lucro líquido de R$ 13,56 milhões no segundo trimestre de 2012. Esse número é 53% superior aos R$ 8,87 milhões lucrados entre abril e junho de 2011, e levou o total semestral para R$ 14,71 milhões, alta de 51% frente ao que havia sido registrado em 2012.

Multiplan tem alta de 12,4% no Ebitda
A operadora de shoppings centers Multiplan (MULT3, R$ 52,16, -0,65%) registrou um avanço de 12,4% no Ebitda (geração operacional de caixa) entre o 1º trimestre de 2011 e de 2012, para R$ 120,4 milhões. Já a receita líquida alcançou R$ 191,8 milhões, uma variação positiva de 20,9% se comparado ao mesmo período do ano passado.

Estácio tem alta no lucro
Já a  Estácio (ESTC3, R$ 25,15, +0,44%) apresentou lucro líquido de R$ 15,1 milhões - um crescimento de 91,1% frente ao que havia sido lucrado no mesmo período, comunicou a empresa nesta quarta-feira (8). Excluindo as aquisições realizadas em 2012, esse lucro cai para R$ 14,6 milhões, crescimento de 84,8%.

Lucro da Mills cresce 73,5%
A Mills (MILS3, R$ 28,83, -2,90%), por sua vez,  registrou um crescimento de 73,5% no lucro, que atingiu R$ 39,2 milhões positivos. Esse número representa um novo recorde trimestral para a companhia, que havia tido lucro de R$ 22,6 milhões neste mesmo período do ano passado.

Unicasa dá sequência às quedas
A Unicasa (UCAS3) vê suas ações despencarem desde a divulgação do resultado trimestral referente ao segundo trimestre. Na terça-feira (7) e quarta-feira (8) as ações da companhia despencaram 10% e 15,56%, respectivamente. Já nesta quinta, as ações seguem em forte queda de 6,67%, negociadas a R$ 10,64.

A companhia revelou em seu balanço trimestral uma redução de 50% no lucro líquido em relação ao mesmo trimestre do ano passado. O lucro da companhia somou R$ 5,7 milhões, ante os R$ 11,4 milhões do mesmo período de 2012. Vale mencionar ainda que depois da divulgação dos números, o BTG pactual  cortou preço-alvo para os ativos UCAS3 de R$ 22,00 para R4 16,00. 

Porto Seguro seguem em alta
As ações da companhia do setor de seguros Porto Seguro (PSSA3, R$ 19,08, +2,58%) seguem em forte alta depois de divulgar os seus números. A companhia reportou  na última segunda-feira (6) lucro líquido de R$ 136 milhões, resultado 4% acima das estimativas do banco Barclays e do consenso do mercado. Na avaliação do analista da XP Investimentos, William Castro Alves, a companhia foi amplamente beneficiada no período pela alocação adequada dos prêmios investidos.

Lucro da Profarma cresce 31,1%
A Profarma (PFRM3, R$ 10,90, +2,35%) por sua vez, divulgou que o lucro líquido consolidado da companhia cresceu 31,1% em relação ao trimestre anterior, atingindo R$ 12,4 milhões, com margem líquida de 1,6%. A companhia registrou ainda um crescimento de 50,7% no Ebitda consolidado, quando comparado ao mesmo período do ano anterior, alcançando R$ 31,2 milhões, com margem Ebitda de 4,1%, a maior já registrada neste período nos últimos três anos.

SLC registra prejuízo líquido de R$ 45,3 milhões
Por fim, a SLC Agrícola (SLCE3, R$ 21,65, -3,91%) reportou um prejuízo líquido de R$ 45,3 milhões, representando margem negativa de 20%. Já a receita líquida atingiu R$ 226,8 milhões no segundo trimestre, impulsionada pelo preços obtidos com a soja (27,6%) e pelos maiores volumes milho. 

Para Henrique Koch, analista do BB Investimentos, efeito não-caixa da apropriação de ativos biológicos afetou os números da SLC mesmo em um trimestre com preços das commodities elevados, em função da estiagem observada tanto nos EUA quanto em algumas regiões do Brasil, "em especial o Oeste Baiano, bastante importante para as operações companhia", completa o analista.

Contato