Em imoveis

Imóvel com selo de eficiência pode gerar economia de até 50% na conta de luz

Emitida desde 2010 para construções residenciais, a etiqueta já foi distribuída para 54 edifícios desse tipo

SÃO PAULO - Desde 2010, os consumidores contam com mais um quesito na hora de avaliar a compra de um imóvel. É a etiqueta Procel Edifica, que aponta o nível de eficiência no uso de energia elétrica nas edificações.

Para se ter uma ideia, uma construção certificada na faixa A - que é a mais eficiente - chega a proporcionar ao morador uma conta de luz com economia de 30%, quando o edifício foi reformado para se adequar ao selo, até 50%, quando a edificação é nova. "Basta que o arquiteto e o engenheiro façam um projeto eficiente. Se isso não ocorrer, o custo acaba transferido para o usuário", alerta o gerente do DTP (Departamento de Projetos de Eficiência Energética) da Eletrobrás/Procel, Fernando Perrone.

Ao todo, a etiqueta já foi distribuída para 80 edifícios, sendo 54 construções residenciais e outras 26 para as comerciais. Vale salientar que cada edificação pode receber mais de uma etiqueta por projeto, construção e mesmo por apartamento, no caso de prédios residenciais.

Preço: aumento de 1% a 1,5%
No momento de realizar a compra da casa própria, cada vez mais os consumidores levam em conta os custos com a manutenção. Tanto é que experiências do mercado imobiliário demonstram que o consumidor está disposto a desembolsar mais com a aquisição, se isso ajudar a economizar com as contas no futuro.

"Pesquisas no Guarulhos Flex apontaram que 62% dos clientes que conheciam a etiqueta Procel Edifica estavam dispostos a pagar mais pelo apartamento, ou seja, a perspectiva de aceitação é promissora", avalia o gerente de Desenvolvimento Tecnológico da construtora Tecnisa, Mauricio Bernardes.

O Guarulhos Flex foi o primeiro a receber a etiqueta no estado de São Paulo. Os imóveis foram avaliados em mais de R$ 100 mil e, como recebeu classificação na faixa B de consumo, isso representou um incremento de 1% até 1,5% nos preços dos apartamentos.

Na avaliação de Bernardes, a tendência é que os consumidores exijam cada vez mais imóveis sustentáveis, pois eles estão entendendo e valorizando os benefícios das construções que seguem esse padrão.

Etiqueta
Alguns dos requisitos técnicos considerados no processo de etiquetagem são: a boa utilização da ventilação e iluminação naturais, eficiência dos sistemas de aquecimento de água, e o desempenho térmico de revestimentos em coberturas e fachadas.

A ideia é unir os conceitos do conforto ambiental da arquitetura junto com o da construção sustentável da engenharia civil. Para que isso seja possível, no entanto, os profissionais responsáveis pelas construções precisam ter consciência de que essa junção é possível e também desejada por consumidores.

Sobre o Procel Edifica
O Procel Edifica (Programa Nacional de Eficiência Energética em Edificações) existe desde 2003, atuando junto com o MME (Ministérios de Minas e Energia), o Ministério das Cidades, universidades, centros de pesquisa e entidades das áreas governamental, tecnológica, econômica e de desenvolvimento, além do setor da construção civil.

Embora atue no uso racional de energia desde a sua fundação, foi com a criação desse novo programa que o Procel ampliou e organizou as ações com o intuito de incentivar o uso eficiente dos recursos naturais - energia elétrica, água, ventilação, etc - nas edificações, reduzindo os desperdícios e os impactos sobre o meio ambiente.

O Procel Edifica busca desenvolver e dinfundir esses conceitos atuando em seis frentes: Capacitação, Tecnologia, Disseminação, Regulamentação, Habitação e Eficiência Energética e Planejamento.

Contato