Em fleury

Fleury: queda de 10% em 3 dias ainda não "expulsou" chance de venda da empresa

Para analista da Empiricus Research, embora a queda recente assuste, ainda parece ser questão de tempo para que sua venda à Gavea seja concluída

SÃO PAULO - A Fleury (FLRY3) tem trazido certa preocupação para os investidores que compraram ações na Bolsa com a expectativa de que ela conclua sua venda a um preço vantajoso. Isso porque na sexta-feira (11) os papéis despencaram mais de 8% sem motivo aparente. Na segunda e nesta terça, mais dois dias negativos, somando até o momento perdas de quase 11%. Mas nada disso ainda tirou a esperança de que a venda seja concluída, o que pode ter aberto uma oportunidade de comprar o papel após a queda recente. Essa é a opinião da equipe de análise da Empiricus Research.

A companhia, envolvida em negociações de venda desde março com a Gávea Investimentos, gestora de Armínio Fraga, acumula perdas de 13,80% em abril e alimenta um questionamento do mercado sobre uma possível desistência da Gávea ou pelo menos uma redução no preço que seria pago - desde sexta, quando as quedas começaram, a Fleury ainda não se pronunciou a respeito.

Em relatório divulgado nesta terça-feira (15), os analistas da Empiricus Research dizem que a conclusão do negócio ainda parece ser uma questão de tempo. Os 41,2% do laboratório, hoje em posse da Core Participações, devem realmente acabar indo para as mãos gestora do ex-presidente do Banco Central, apesar de algumas ameaças.

O grande mistério ainda gira em torno do valor a ser ofertado pela Gávea. De acordo com a equipe da Empiricus, os rumores apontam para um acordo fechado a R$ 22,50 por ação, o que representaria um upside de 33,53% sobre os papéis FLRY3, levando em conta sua cotação no fechamento da véspera.

Recomendação meramente especulativa
Com tamanho potencial de valorização, os analistas veem uma boa oportunidade de curto prazo, mas reforça que esse "call" é meramente especulativo. "O papel encontra-se em um momento bastante complicado, com a companhia tendo acabado de registrar um dos piores resultados de sua história recente", pondera a equipe da Empiricus em relatório.

Vale lembrar que, no quarto trimestre de 2013, a companhia viu seu lucro de R$ 16,5 milhões do quarto trimestre de 2012 ser convertido um prejuízo de R$ 800 mil, o primeiro desde o IPO (oferta pública inicial), em 2009.

Contato