Em educacao / guias

Antes de abrir seu negócio, veja quanto terá que investir

Além dos gastos com investimento fixo, é preciso assegurar capital de giro para os primeiros meses e manter reserva para emergências

Abrir um negócio próprio é algo no qual você vem pensando há muito tempo. Porém, os anos foram passando e você se acostumou à vida de funcionário. Agora, diante da falta de perspectiva profissional no atual emprego e da dificuldade de recolocação no mercado de trabalho, você está seriamente considerando a possibilidade.

Com uma idéia bastante clara sobre qual o tipo de negócio pretende abrir, você só se preocupa com os casos de amigos que viram suas economias evaporarem no sonho do negócio próprio. Mas não precisa ser assim! Basta se planejar e fazer as contas de quanto precisará investir, lembrando sempre de deixar uma reserva extra para surpresas. Assim você poderá evitar as temidas dificuldades financeiras.

Determinar ao certo quanto é preciso para abrir um negócio exige que você tenha uma idéia bastante clara do que pretende fazer. Para responder a esta questão, é preciso efetuar um planejamento financeiro do negócio.

Mesmo que você já esteja familiarizado com o setor em que pretende atuar, não se iluda. Montar um negócio exige um conhecimento profundo do setor, que a experiência enquanto funcionário muitas vezes não lhe garante.

Informe-se o máximo possível
Portanto, sua primeira providência, se quiser realmente ser bem-sucedido, é investir algum tempo no entendimento do setor em que pretende atuar. Você precisa estar informado sobre todos os principais fatores por trás do negócio, o que inclui a elaboração de uma pesquisa de mercado.

Desta forma, você irá se inteirar sobre as principais necessidades do negócio, tanto em termos de infra-estrutura, como em termos de quantidade e capacitação da mão-de-obra. Além disso, poderá conhecer a fundo seus competidores e respectivos produtos, assim como estabelecer um bom relacionamento com possíveis fornecedores.

Se, mesmo assim, não se sentir inteiramente preparado, é recomendável que busque ajuda especializada, podendo inclusive fazer alguns cursos de capacitação junto a entidades como o Sebrae (Serviço Brasileiro de Atendimento ao Micro e Pequeno Empresário). A entidade também oferece palestras gratuitas e essa pode ser toda a informação que você precisa para se sentir mais seguro.

Você precisa se sustentar!
A primeira coisa que se deve mencionar é que o custo de se abrir um negócio não deve ser visto como simplesmente aquilo que você irá gastar para instalar o negócio, o que engloba desde os gastos com compra de máquinas e equipamentos, até o investimento em estoques.

Por mais que seja fundamental analisar com cuidado todos estes gastos, é preciso pensar um pouco mais longe. Se você não tem uma renda alternativa e pretende sobreviver daquilo que o seu negócio render, é preciso contabilizar no investimento inicial suas despesas correntes por um prazo de pelo menos seis meses.

Se, no momento, você ainda está como estagiário em uma empresa de grande porte e vive com o salário de R$ 1 mil, então deve considerar como parte do investimento a quantia de R$ 6 mil, que servirá para garantir o seu sustento até que o negócio comece efetivamente a dar lucro. Essa, aliás, é uma perspectiva bastante otimista, já que o mais correto, na ausência de qualquer outro tipo de reserva ou renda adicional, seria juntar ao menos R$ 12 mil (o equivalente a um ano de receitas).

Esse é, na verdade, um erro bastante comum entre os novos empreendedores. Excessivamente otimistas com relação ao sucesso do negócio, acabam subestimando o montante necessário para o seu sustento. Em decorrência, acabam pressionados financeiramente, o que os leva a cometerem erros na gestão da empresa, já que passam a se concentrar excessivamente na geração de caixa.

Estimando o investimento fixo
Além dos gastos já mencionados, deve-se levar em conta os gastos com investimento fixo e capital de giro da futura empresa. Por investimento fixo entende-se a soma de todos os gastos que se precisa incorrer para começar a vender seus produtos, ou prestar seus serviços.

Neste contexto, devem ser incluídos no cálculo do investimento fixo: obras, móveis, máquinas e equipamentos, veículos etc. Contudo, é recomendável que faça uma reserva equivalente a 5%, no caso de gastos extraordinários na instalação da empresa. Isso significa, por exemplo, que, se estima que irá gastar R$ 100 mil, deve deixar de lado outros R$ 5 mil para emergências.

Não se esqueça do capital de giro
Mas, para funcionar, não basta que a empresa tenha instalações e máquinas. Também é preciso que produza e venda seus produtos. Ao capital necessário para garantir que isso aconteça, se dá o nome "capital de giro".

Apesar de sua importância para o funcionamento da empresa, não são raros os casos de empreendedores que negligenciam o total de recursos necessários para este fim. Ainda que a maioria dos empresários inclua em seu planejamento o gasto total com a produção, acabam se esquecendo que não basta produzir, é preciso vender. Para isso, deve-se levar em consideração os gastos administrativos e com vendas.

Da mesma forma, dada a dificuldade de se prever de maneira exata estes gastos, recomenda-se que seja feita uma reserva extra de cerca de 5% do total de capital de giro necessário. Faça suas contas de maneira realista: coloque no papel tudo o que é preciso gastar para efetivamente produzir e vender uma unidade do produto ou durante um mês.

Estabeleça uma meta para o período durante o qual quer ter certeza de cobrir as necessidades de capital de giro da empresa. Assumindo que queira cobrir estas necessidades por um período de três meses, e que o capital de giro preciso para um mês é de R$ 25 mil, então estamos falando que precisaria ter R$ 75 mil, valor que, acrescido dos 5% de reserva, equivale à cerca de R$ 79 mil.

Identificando alternativas
Assim, com base na pesquisa de mercado do setor e na análise de seus competidores, você pode ter uma idéia de quanto tempo será preciso esperar até que a empresa seja rentável.

A definição deste período será fundamental para o cálculo do capital a ser investido na empresa, pois irá determinar não só quanto tempo você precisará garantir seu sustento, como a necessidade de capital de giro. Daí a importância da pesquisa de mercado, antes de se abrir qualquer negócio.

Não necessariamente você terá como arcar com o investimento total necessário, sobretudo se este é seu primeiro negócio. Mas, pelo menos, terá uma idéia clara do quanto precisa, o que certamente facilitará a busca por financiamento ou, quem sabe, até mesmo de um sócio para o seu negócio.

ideia - empresa inovadora - novos negócios
(Getty Images)

Contato