Em ccx

Endividada com Eike Batista, CCX estuda fazer proposta ao ex-bilionário

Empresa, que tem Eike como acionista controlador, quer propor a ele pagamento parcial das dívidas

SÃO PAULO - Em comunicado informando o conteúdo da ata da última reunião do Conselho de Administração, a CCX Carvão (CCXC3) divulgou uma proposta a ser “potencialmente realizada” pelo presidente Gunnar Gonzalez aos representantes do ex-bilionário Eike Batista, acionista controlador da companhia e que está preso desde janeiro no âmbito da Operação Lava Jato.

O comunicado destaca que as dívidas da companhia e de suas controladas basicamente têm como credores partes relacionadas e/ou veículos sob controle societário de Eike e o valor deste endividamento consolidado é superior à totalidade dos ativos da CCX e de suas controladas. 

Dessa forma, os membros do Conselho de Administração da CCX formalmente autorizaram o diretor presidente a conduzir negociação para transacionar e solucionar as dívidas existentes. 

"Neste contexto, basicamente, a proposta a ser potencialmente realizada por Gunnar Gonzalez aos representantes do acionista controlador é no sentido de realizar pagamento parcial das dívidas atualmente existentes, com a renúncia por parte do acionista controlador ao recebimento do saldo das dívidas que não vierem a ser recebidas", aponta a companhia no comunicado.

Conforme o caso, destaca a CCX, também seria facultado ainda ao acionista controlador a possibilidade de eventualmente converter o saldo das dívidas que remanescerem não pagas pela Companhia ao acionista controlador em equity da própria Companhia (isto é, capitalização de créditos). Sendo assim, em tal hipótese, seria possível eventual aproveitamento econômico futuro destes recursos pelo acionista controlador no contexto de eventual encerramento das atividades da companhia, sendo que tais benefícios seriam auferidos pelo acionista controlador em conjunto e de maneira equânime com os demais acionistas da Companhia (isto é, preservando-se direitos e interesses da pluralidade dos acionistas da Companhia).

A proposta a ser formulada  aos representantes do acionista  controlador também contemplará a ressalva de que o pagamento a ser realizado estará sujeito: (a) ao atendimento de formalidades para que os recursos mantidos em caixa pela subsidiária da empresa perante instituições bancárias da Colômbia possam ser remetidos aos credores, uma vez que a subsidiária da Companhia na Colômbia está em processo de liquidação; e (b) à própria disponibilidade de caixa.

"Por fim, consignou-se que qualquer versão final e definitiva de acordo a ser formalizado  entre a companhia e o acionista controlador para liquidação parcial das dívidas deverá ser submetida à aprovação prévia do Conselho de Administração", informa a empresa.

 

Eike Batista
(Fernando Frazão / Agência Brasil )

Contato