Salário mínimo para suprir despesas deveria ser de R$ 2.748,22, diz Dieese

O valor necessário é 3,80 vezes o salário mínimo vigente no período, de R$ 724
Por Luiza Belloni Veronesi  
a a a

SÃO PAULO – Para que um trabalhador conseguisse suprir as despesas básicas durante janeiro de 2014, ele deveria receber um salário mínimo no valor de R$ 2.748,22, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira (06) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

O valor necessário é 3,80 vezes o salário mínimo vigente no período, de R$ 724. Em janeiro de 2013, o valor apurado para atender às despesas de uma família era de R$ 2.674,88, ou 3,95 vezes o mínimo da época (R$ 678).

Jornada de trabalho
Ainda de acordo com o Dieese, a jornada de trabalho necessária para a compra dos alimentos essenciais por um trabalhador remunerado pelo salário mínimo diminuiu. Enquanto em janeiro do ano passado, a jornada exigida era de 92 horas e 17 minutos, no mesmo mês de 2014 foi de 88 horas e 51 minutos.

Quando se compara o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social, verifica-se que o trabalhador remunerado pelo piso nacional comprometeu, em janeiro deste ano, 43,9% de seus vencimentos para adquirir os mesmos produtos que, em dezembro de 2013, demandavam 46,83%. Em janeiro de 2013, o comprometimento do salário mínimo líquido com a compra da cesta equivalia a 45,59%.

Deixe seu comentário

Felipe T. Dornelles (06/02/2014 20:55:17) Se fizessem um "socialismo" com o salário dos políticos e de funcionarios publicos que ganham muito bem, se diminuissem a dívida pública e a corrupção, daria pra chegar em algo perto disso.
Pedro Luiz Vidigal Delmaschio (06/02/2014 20:59:31) Sabe quando isto irá acontecer? Consulte as Calendas Gregas.
André Luis Reis Lopes (06/02/2014 22:05:34) Duvido...
Rodney Peck (07/02/2014 16:52:42) Povo, não sei porque, mas para aqueles que trabalham ganhando cerca de 1200,00 a 1600,00 recebem sim o minimo citado pelo IBGE, analisem comigo: Salario médio: R$ 1400,00 (mais ou menos) VT: R$ 140,00 a 160,00 (mais ou menos) VR ou refeição no local: R$ 300,00 (mais ou mneos Cesta basica ou VA: R$ 260,00 (mais ou menos) Plano de saude + odontologico: R$ 400,00 (mais ou menos) Dentre outros beneficios mais SE, vejam bem, SE transformarmos os beneficios em dinheiro o trabalhador ganharia R$ 2500,00 (mais ou menos e, não citei todos os beneficios) Agora, fica a pergunta no ar: Se, de acordo com a conta que fiz, uma parcela de trabalhadores ganham sim o minimo citado pelo IBGE, então, porque, a mesma teima em falar sobre minimo? O IBGE ou seja lá qual órgão for, sempre se esquecem que, uma grande parcela dos trabalhadores recebem sim o minimo que sempre falam mas, uma parte é em forma de salario e a outra parte, é em forma de beneficios! Precisamos tomar cuidado com essas maniulações, claro que, já me dei de cara com amigos que, falaram não receber mais do que, R$ 1200,00 e apenas 2 no maximo, 3 beneficios, esses sim recebem menos que o minimo anunciado pelo IBGE ou outro órgão qualquer mas, há muitos que recebem até mais e ainda resolvem protestar contra o o governo. Com certeza é a turma do "quero mais" mesmo ganhando bem. Eu por exemplo, na ultima empresa (estou desempregado) ganhava pouco mais que o minimo que o IBGE anunciava mas, como sempre, uma parte em salario (pouco mais que R$ 1400,00) e a outra parte em beneficios. Sei que deve ter muitos aqui que também ganham bem, entre salarios e beneficios e, não sei porque, reclamam. Em tempo: NÃO SOU DEFENSOR DE NENHUM POLITICO, PRINCIPALMENTE GOVERNOS, NUNCA APOIEI NENHUM ATÉ HOJE. Rodney
Edvaldo Azevedo (08/02/2014 18:33:40) o lar trabalhadores do Brasil vamos estudar. aprender uma profissão .para não depender de um salario mínimo apena
Leo Augusto (08/02/2014 22:01:30) E a gente é mágico ...
Ruben Pimentel (10/02/2014 09:38:16) kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk pára!!!!
Leopoldo Henrique Fachini Moreira (11/02/2014 01:06:29) só tem um problema nesse raciocínio, Rodney: benefícios não pagam contas.
Rodney Peck (11/02/2014 18:07:46) Leopoldo Henrique Fachini Moreira Concordo com você mas ajuda um pouco, concorda? Claro, como disse, tem pessoas que ganham sim uma salario de fome e quase nada de beneficios, isso sim é revoltante. Mas, pensemos no seguinte, uma cesta basica ajuda em diminuir os gastos no mercado logo sobra um pouco mais para pagar as contas. Um plano de saude, ajuda a diminuir os gastos com idas ao medico particular que, uma simples consulta está os olhos da cara! Sobra mais para pagar as contas e por ai vai. Agora, é só vermos o caso de quem mora de aluguel, nem todos pagam valores baixos mas, também, nem todos pagam altos alugueis. Eu, quando trabalhava, ganhava pouco mais de R$ 1550,00 mais os beneficios e dava para pagar o aluguel+ condominio (pouco mais que R$ 1200,00) e ainda sobrava para pagar as contas. Mas, tenho uma vida mais simples sem muitas mordomias, como TV a cabo, internet acima dos 2MB, carro novo e etc. Provavelmente isso é um diferencial em eu ter conseguido sobreviver com esse salario. Nada contra quem deseja essas mordomias, está ai, é para usar mas, devemos obter as coisas de acordo com o que podemos. Meu irmão, por exemplo, ele gasta mais de R$ 6000,00 para o sustento da casa dele mas, ele tem essas mordomias todas e da melhor qualidade, hoje, está ficando dificil sustentar isso tudo... não sei se ele vai diminuir as mordomias para poder caber no orçamento, isso será com ele. Mas, no fundo sei que, nem todos conseguem com o salario e beneficios, honrar os comromissos basicos do dia a dia. Em resumo, concordo com você.