Em carreira / emprego

As profissões que serão indispensáveis no futuro, segundo a Michael Page

De acordo com o diretor-executivo da companhia, Ricardo Basaglia, nove profissões devem entrar em demanda até 2030,

Entrevista de emprego
(Shutterstock)

SÃO PAULO – Anualmente, as carreiras que ficam em alta no mercado de trabalho mudam, seja pelos avanços tecnológicos, que pedem novas habilidades e formações, quando por demanda.

A tendência é de que, no longo prazo, tenham destaque carreiras que, hoje, ainda não são muito exploradas, mas que “serão cruciais para a manutenção de serviços da cotidiana”, de acordo com levantamento da consultoria Michael Cage.

De acordo com o diretor-executivo da companhia, Ricardo Basaglia, nove profissões devem entrar em demanda até 2030, muitas delas quase desconhecidas. Confira quais são e por que:

Consultor de genoma
Os avanços na pesquisa de DNA permitirão extrair informações do genoma de bebês, ainda durante a gestação, e ter acesso a dados de desenvolvimento físico, características genéticas e até sobre sua saúde.

“A função do ‘consultor de genoma’ poderá ser tão comum quanto a do pediatra é nos dias de hoje. Não há aqui nenhuma comparação de campos de estudo, apenas uma constatação de uma função que será altamente demandada pela sociedade em pouco tempo, disse Ricardo.

Consultor de longevidade
Em 2015, a expectativa de vida do brasileiro estava em uma média de 74,6 anos, de acordo com o Banco Mundial. Nos Estados Unidos, a expectativa média era de 78,7. Com esse constante aumento da longevidade do ser humano, em pouco tempo serão demandados profissionais especializados em serviços, técnicas e orientação sobre longevidade, capaz de tornarem a terceira idade “mais saudável”.

“O conceito de terceira idade está desaparecendo, pois a sociedade vai demandar lazer, vigor, beleza e entretenimento, saúde, relacionamentos, consumo e interações na medida em que a vida se alonga”, explicou o diretor.

“Hacker” genético
Tal como o consultor de genoma, o especialista em genética será responsável por criar melhoras no nível celular e microbiológico do ser humano. Isso já acontece no agronegócio, principalmente para o cultivo de transgênicos.

Segurança virtual
“De modo geral, as grandes legislações, tratados e acordos políticos e de direitos humanos, foram concebidos para o mundo físico e para as relações pessoais no mundo concreto. O policial digital será treinado para investigar fraudes, furtos, distorções, quebra de reputações, formação de quadrilhas, tráficos em diversas escalas – em suma, crimes que ocorrem em nível virtual, por meio de dados, algoritmos e softwares”, disse Ricardo.

Especialista em simplicidade
O objetivo deste profissional será de “simplificar processos, serviços e até produtos” em um contexto de milhões de dados em todos os lugares. Segundo o diretor, isso já acontece no mercado financeiro e em fintechs, mas, no futuro, deve se expandir para todas as indústrias.

Assessor de aprimoramento pessoal
Alguns profissionais desse setor já são conhecidos hoje em dia: profissionais de coaching, mentoring e instrutores de mindfulness, que têm como objetivo melhorar a memória, foco, atenção e tomada de decisões de quem consulta. No futuro, outras atividades além destas podem surgir – e vão oferecer serviços mais “precisos e personalizados” a partir do uso de ciência de dados para isso. “Talvez o aprimoramento pessoal ande em paralelo a cursos de pós-graduação e ganhe o status de atividade de formação, necessária para o crescimento das pessoas”, comentou Ricardo.

Programadores de entretenimento pessoal
Esse profissional já tem atuação hoje, por trás de empresas como o Google, Facebook e Amazon, identificando os hábitos de consumo dos usuários para posteriormente oferecer produtos. “No futuro haverá profissionais para ajudar em atividades de entretenimento, mas em nível muito mais particular, plural e personalizado”, disse.

Curadores de sustentabilidade
Entre as melhorias que o campo da sustentabilidade deve ganhar no futuro estão os programas capazes de prever efeitos e desastres climáticos, como furacões, secas e inundações. Com o desenvolvimento da realidade aumentada, biólogos, geólogos, químicos e ambientalistas poderão identificar e estudar os fenômenos naturais em tempo real.

Especialistas em gestão de resíduos
“Cuidar da produção de resíduos será determinante para o nosso sucesso na experiência de viver no planeta e evitar não apenas degradação ambiental, mas o desperdício de fontes de energia e potencial criativo da reciclagem. A gestão de resíduos vai demandar tecnologia de ponta, estrutura de pesquisa, armazenamento e até de negociação, a partir do momento em que os nossos resíduos possam dar forma a novos componente”, explicou Basaglia.

Contato