Em bloomberg / mercados

Governo tentará avançar reformas mesmo com denúncia de Janot, diz fonte à Bloomberg

Governo quer retomar o cronograma de votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara antes do recesso parlamentar, previsto para 17 de julho

(Bloomberg) -- Paralelamente à votação de um possível pedido de investigação contra o presidente Michel Temer, o governo quer retomar o cronograma de votação da reforma da Previdência no plenário da Câmara antes do recesso parlamentar, previsto para 17 de julho, disse uma fonte com conhecimento direto do assunto sob condição de anonimato.

*Ideia do governo é buscar não parar as reformas caso a Câmara tenha de avaliar possível pedido de investigação do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente Temer
*Os dois temas poderiam caminhar simultaneamente, disse a mesma pessoa
*Cronograma otimista acontece em momento que PSDB pode recorrer no TSE contra a absolvição da chapa Dilma-Temer e partido diz avaliar diariamente permanência no governo
*Governo continua com intenção de não fatiar a proposta de mudança nas regras da Previdência em medidas provisórias e projetos de lei, disseram duas pessoas com conhecimento direto do assunto
*Argumento é de que qualquer alteração que não seja através de PEC atingiria apenas trabalhadores da iniciativa privada, sem mexer nas regras de servidores públicos, idade mínima e aposentadoria rural, disse uma das fontes
*Equipe econômica trabalha com a ideia de o Plenário da Câmara começar a discutir a reforma da Previdência enquanto a reforma trabalhista é aprovada no Senado, o que está previsto para a última semana de junho dentro do cronograma atual
*Com isso, as áreas econômica e política do governo Temer planejam colocar em votação os dois turnos da reforma da Previdência já nas duas primeiras semanas de julho
*Acordo para acelerar a validade das novas regras trabalhistas é o Senado aprovar a proposta como recebeu da Câmara
*Caberia ao presidente Temer vetar o que for mantido da lei aprovada na Câmara sem a concordância dos senadores
*Há a previsão, por exemplo, do envio de uma medida provisória para acrescentar regras sobre a jornada intermitente

 

Esta matéria foi publicada em tempo realapara assinantes do serviço BloombergaProfessional.

Michel Temer - Bloomberg
(Bloomberg)

Contato