Como montar a sua estação de trading

A estação de trading é uma importante ferramenta de trabalho. Leia o artigo com dicas sobre como montar a sua.
Blog por Leandro Ruschel  

Desde que a atividade frenética de compras e vendas de títulos e derivativos saiu do floor das bolsas para os servidores na internet, toda a interação com o mercado passa a ser desenvolvida de uma estação de trabalho, seja um PC, Mac, Tablet ou Smartphone, você precisa de um dispositivo para fazer a sua avaliação e enviar as suas ordens.

Nesse quesito existe uma infinidade de alternativas. O primeiro passo para definir a sua estação de trabalho é identificar o seu perfil como trader ou investidor. De uma maneira geral, quanto mais ativo você for, ou seja, quanto maior a frequência de operações feitas, mais importante é investir numa boa estação de trabalho e acessórios. Também é importante identificar o seu capital operacional. Não é uma boa ideia investir R$ 10.000,00 num equipamento de ponta se o seu capital operacional é de R$ 20.000,00, por exemplo.

Quando eu comecei a utilizar computadores para os mais diversos fins, no início da década de 90, quando o Brasil saia da famigerada reserva de mercado, tudo era muito caro e as opções eram poucas. A internet estava dando os seus primeiros passos em relação a estrutura atual. A conexão era feita por telefone em modens de 14400 bps.

Desde então a tecnológica evoluiu muito, os preços despencaram mas ao mesmo tempo ficou mais difícil de entender as diferenças entre as máquinas. Os fabricantes também não facilitam a tarefa. Por exemplo, a Intel, principal produtora de CPU’s, o coração de qualquer dispositivo, chama diferentes processadores de i3, i5 e i7. O problema é que existem centenas de tipos diferentes de i7, e a sua performance pode ser diferenciada num fator de 100. Lembro bem quando era possível escolher um processador apenas pelo Clock, ou seja, 1Ghz, 2Ghz, etc. Veja um exemplo de lista de processadores e o seu desempenho https://www.cpubenchmark.net/high_end_cpus.html.

O ponto positivo é que hoje temos acesso a esse tipo de informação e dos reviews de experts e usuários finais nos próprios sites de compra. A regra número um para montar uma estação de trabalho ou comprar qualquer produto ou serviço é pesquisar!

Definindo o seu patrimônio e o seu perfil

Aqui são três pontos importantes: quanto capital você tem, o seu estilo operacional e o nível de conhecimento em tecnologia. Se você tem pouco capital, é importante trabalhar uma máquina que tenha bom custo/benefício sendo que velocidade não será um fator fundamental. O mesmo pode ser aplicado para o estilo operacional. Quem tem um horizonte de investimento mais longo e utiliza Análise Fundamentalista não tem necessidade de velocidade e de acompanhamento de vários gráficos ao mesmo tempo. O nível de conhecimento em tecnologia pode ser utilizado para encontrar soluções mais baratas e customizadas. Se não for o seu caso, o melhor é utilizar soluções prontas de grandes marcas, como Dell e HP.

Lembro agora de uma constatação do meu pai quando saímos para pescar no litoral gaúcho: “quanto maior a vara, pior o pescador”. Ou seja, não adianta ter um equipamento de ponta se você não tem o conhecimento e o preparo para operar no mercado. Na verdade o investimento num equipamento de ponta pode incentivar o trader a operar mais do que deveria. O equipamento deve ser apenas uma ferramenta para facilitar o trabalho. Ter uma boa estação de trading não garantirá um resultado positivo.

Pacote básico

Hoje com R$ 2.000,00 a R$ 2.500,00 é possível comprar um bom PC com um processador Intel Core i5 de quarta geração, 4Gb de memória Ram e 500 Gb de disco rígido, com um monitor 21 polegadas com resolução HD (1920x1080).

Principais upgrades em ordem de performance vs. Investimento:

Memória Ram

Com um investimento pequeno é possível melhor bastante a performance de qualquer máquina. A memória Ram é utilizada pelo sistema operacional e pelos aplicativos em execução. Sempre que você abre um novo programa, ele é carregado nessa memória. Quanto mais programas forem utilizados, maior é a carga na memória. Quando a quantidade de Ram disponível acaba, usualmente o sistema operacional utiliza a memória do disco rígido, que é muito mais lenta. Hoje o ideal seria 16Gb de Ram, mas de 4Gb para 8Gb a diferença de performance pode ser brutal. Se você quiser dar um boost na sua antiga máquina, esse é o caminho. É possível comprar um pente de 4Gb de Ram por R$ 200,00. Só tome cuidado em comprar a memória certa, geralmente no manual há a especificação. Não é preciso ser um expert para abrir o gabinete do PC e colocar um pente de memória Ram. Encontrei um tutorial interessante sobre o tema: https://www.youtube.com/watch?v=SO_51HMzQDk .

Disco Rígido ou HD

A maioria das máquinas atuais utiliza uma tecnologia relativamente ultrapassada. Como o nome já diz, é literalmente um disco que gira a alta velocidade para fazer a leitura dos dados. Existe uma tecnologia mais moderna, chamada SSD (Solid State Drive). Como nesse tipo de armazenamento não há qualquer parte móvel, a leitura e gravação de dados é muito mais rápida, além de mais confiável, pois um disco rígido costuma apresentar falhas em algum tempo por conta do desgaste natural. Em termos de velocidade, uma boa comparação pode ser encontrada nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=j84eEjP-RL4 . Essa é também uma boa forma de fazer um updgrade de uma máquina antiga. Uma alternativa inteligente para economizar, já que os drives SSD são mais caros, é ter um drive desses de menor capacidade para o sistema operacional, mantendo um HD normal para os arquivos e backups.  Hoje um SSD de 120Gb custa R$ 260,00.

Placa de vídeo e monitores

Especialmente para os traders que utilizam a Análise Técnica e que operam em prazos curtos, a área de tela disponível para visualização dos gráficos é importante. Além disso, não podemos esquecer que todo o dia serão horas e horas de acompanhamento, ou seja, vale a pena investir em telas de qualidade. É preciso compreender como as imagens são formadas e o conceito chave é resolução. A imagem que chega aos seus olhos enquanto você lê esse artigo é formada por um conjunto de pixels. São pequenos pontos que são ligados e desligados para formar imagens. Quanto maior o número de pontos, maior a definição dessa imagem. Não adianta ter um monitor grande se a resolução é pequena, pois você terá como resultado final imagens “borradas”. O padrão atual é um monitor de 23 polegadas com resolução de 1920x1080, chamada também de Full HD, ou alta definição.

Hoje já existem monitores com resoluções maiores, como os monitores 4K (3840x2160), que só fazem sentido em telas de 40 polegadas para cima e são caríssimas. Uma solução intermediária é a resolução 2560x1440 para telas a partir de 27 polegadas.

De qualquer forma, independentemente da tela escolhida, é preciso ter uma placa de vídeo capaz de oferecer mais de uma saída de vídeo. Há uma verdadeira salada de padrões, sendo a mais antiga aquela azulzinha chamada de D-Sub. O padrão hoje são saídas DVI e HDMI. É possível comprar placas de vídeo com suporte para duas saídas DVI por R$ 250,00. Para fazer o upgrade na sua máquina é importante saber se há slots (encaixes) na placa mãe para substituir ou colocar mais placas de vídeo. É possível montar uma solução com 4 ou 6 monitores agregando duas placas de vídeo ou mais no mesmo computador, desde que haja conexões disponíveis. Hoje o padrão de slot é PCI Express 2.0 x16, ou seja, na hora de comprar um computador o ideal é que existam dois slots desse tipo pelo menos.

Quem nunca teve uma estação de trabalho com dois monitores ficará surpreso com o ganho de produtividade que esse arranjo pode gerar. Um exemplo é o artigo que estou escrevendo no momento. Tenho o Word aberto numa tela e na outra um navegador de internet. Simplesmente deslizar o mouse para o lado e fazer uma pesquisa na web e voltar imediatamente ao texto é muito mais rápido e agradável que fechar uma tela e abrir outra, por mais rápido que você seja no alt+tab.

Uma solução simples e efetiva para quem trabalha com laptops é simplesmente comprar um monitor adicional.

Para quem se aventura no mundo dos day-trades, é primordial ter a capacidade de olhar vários gráficos ao mesmo tempo, portanto quanto mais área disponível, melhor. De qualquer forma, não podemos esquecer que o simples fato de poder olhar vários mercados ao mesmo tempo não garantirá um resultado positivo e pode até ser uma armadilha, pois poderá incentivar indevidamente o trader a fazer mais operações que o necessário.

Ainda em termos de hardware, existe hoje um acessório que pode ser muito útil para quem quiser ter várias telas mas não tem espaço para mais placas de vídeo ou não quer gastar muito. É um dispositivo USB que cria uma saída de vídeo: http://www.amazon.com/Plugable-UGA-165-1920x1080-1600x1200-DisplayLink/dp/B004AIJE9G/ref=sr_1_1?s=electronics&ie=UTF8&qid=1411923884&sr=1-1&keywords=Plugable+UGA-165 .

Também é interessante criar uma disposição desses monitores e existem suportes específicos para a tarefa: http://www.amazon.com/Standing-Optional-bolt-through-Adjustable-STAND-V006F/dp/B00FPT52JU/ref=pd_sim_e_7?ie=UTF8&refRID=16T7WNHM2KJSQST0DSTB

Processador

Para que um bom sistema funcione é preciso processamento. No caso do mercado financeiro, os programas de uma maneira geral requerem um bom processamento, até porque é comum ter dois ou três softwares de roteamento de ordens e de cotações/gráficos em tempo real rodando ao mesmo tempo. Outras atividades, como rodar um software de escaneamento ou usar o Excel alimentado por dados em tempo real e cheio de macros e fórmulas também exigem bastante do processador. Nesse caso o investimento compensa. Não é necessário ter o último lançamento da Intel, mas hoje um i7 de quarta geração vale o investimento, como o i7-3820. Nessa página há um bom quadro comparativo: http://www.futuremark.com/hardware/cpu .

Conexão com a Internet

Especialmente para os day-traders é importante ter uma rápida e estável conexão com a internet e além disso alguma conexão adicional de redundância. Hoje existem mais alternativas que no passado para assinar um bom serviço de internet. Uma conexão ADSL ou Cabo com pelo menos 10Mb já é o suficiente. Importante investir num bom roteador e de preferência ligar a sua estação de trabalho com um cabo a esse roteador.

Hoje a redundância básica pode ser feita com uma conexão 3G, já que a maioria dos smartphones atuais podem funcionar como roteadores wireless ou compartilhar a sua conexão de internet diretamente plugados no PC. Mesmo assim, a melhor solução é ter um segundo serviço de internet. Existem roteadores que possuem entrada para duas conexões de internet, conhecidos como dual wan. No caso de impossibilidade de passar cabeamento até a estação, é importante investir num roteador wireless de maior alcance. Um exemplo de um bom roteador em termos de custo, alcance e confiabilidade: http://www.amazon.com/Linksys-Wireless-Dual-Band-Anywhere-EA6900/dp/B00EXK14S0/ref=pd_sim_pc_3?ie=UTF8&refRID=1NVQZQ038NHANTEQ9WA8 .

Laptop auxiliar

Independentemente da configuração da sua estação principal de trabalho, é importante manter um laptop rodando em paralelo. No meio das operações, um eventual travamento da máquina pode gerar uma interrupção potencialmente fatal em operações de day-trade, pois são alguns minutos até a máquina voltar a ficar operacional. Com um laptop ao alcance da mão para enviar as ordens, esse problema é resolvido.

Além disso, os laptops contam com bateria e podem funcionar por horas em caso de falta de energia, conectados num smartphone 3G. Outra alternativa é utilizar o próprio smartphone como roteador de ordens, já que as melhores corretoras oferecem um aplicativo para tal função. O problema é que o smartphone não oferece um meio consistente para analisar gráficos.

No Break

Com um investimento aproximado de R$ 1.500,00 é possível comprar um no break e um módulo externo de bateria adicional que mantenham o equipamento funcionando por pelo menos uma hora e meia. http://www.kabum.com.br/produto/38576/sms-no-break-manager-net4-1400va-bivolt-expert-27288 e http://www.kabum.com.br/produto/19005/sms-modulo-de-bateria-iv-12v-80ah-especifico-para-mananger-iii-senoidal-e-net-4-62215 . Não esqueça de ligar o modem e roteador ao no break. Também é preciso saber se no seu prédio há no break para o distribuidor central, especialmente no caso de ser internet por cabo, pois não adianta você ter o seu modem e roteador com energia se o sinal não chega até eles. ADSL ou fibra ótica não necessitam desse arranjo.

Backup e recuperação de informações

É importante ter agilidade de recuperação rápida em caso de problemas com a máquina acontecerem, ou mesmo um programa em específico para de funcionar.

Em primeiro lugar, para evitar que problemas aconteçam, evite navegar na internet fora dos sites confiáveis. Também evite instalar programas desnecessários ou fazer download de vídeos, músicas ou programas piratas. Instale apenas o que for importante para a atividade a ser desenvolvida.

Depois de instalar os programas necessários, crie um ponto de restauração no Windows e faça um backup completo num HD adicional ou HD externo. Em caso de problemas, faça a recuperação a partir desse ponto ou desde o backup se o problema for mais sério.

Para aqueles que não resistem a instalar outros programas ou fazer outros usos, aconselho criar uma PC Virtual. Parece complicado para os que não conhecem essa ferramenta, mas não é. Você pode, através de várias soluções oferecidas, criar uma máquina virtual, ou seja, como se fosse um novo PC dentro do seu PC. Dentro dessa nova máquina virtual, “blindada” da sua estação de trabalho, é possível fazer experiências mais ousadas em termos de instalação de games ou outros programas. Só não use essa máquina virtual para trabalhos sensíveis, como operar ou utilizar o seu home banking e fazer compras.

Amantes do Mac e Ipads

Uma pergunta frequente que recebo é sobre uso dos principais softwares de análise e roteamento no Mac OS, sistema operacional dos computadores da Apple ou o iOS, sistema operacional dos Iphones e Ipads.

A resposta é sim. Existe a possibilidade de criar uma máquina virtual, instalando nela o Windows. Eu utilizo para isso o Parallels. Para tanto é preciso ter um bom Mac, com pelo menos 16 Gb. E mesmo assim a performance não será a mesma de um bom PC rodando Windows.

Em relação aos Ipads, utilizo uma solução chamada Logmein, que permite controlar a máquina a distância. Dessa forma consigo utilizar o Tablet para “rodar”os softwares de análise.

Sobre o Windows 8

A não ser que você já tenha se acostumado a nova lógica de utilização que a Microsoft introduziu na última versão do Windows, sugiro utilizar o Windows 7.

Outras dicas para aumentar eficiência

Operar o mercado é uma tarefa complexa. Envolve infinitas estratégias possíveis de serem colocadas em práticas em centenas ou milhares de alternativas, entre ações, opções, futuros, moedas e outros títulos.

Por mais inteligente e preparado que você seja, a falha em organizar a atividade pode gerar no final um resultado negativo. Acompanhar o mercado de vez em quando, utilizando em cada oportunidade uma abordagem diferente, sem nenhuma rotina não pode dar certo.

Defina exatamente o seu plano de trade e a rotina de acompanhamento: quais mercados serão operados, como eles serão selecionados e analisados no dia-a-dia e como as operações serão geridas, desde a entrada até a saída.

Separe a área de trabalho com os gráficos. Por software quero ver 16 pequenas janelas, onde divido por liquidez ou setor, além de deixar espaço para pelo menos 4 gráficos de mercados que estejam chamando a atenção ou que estou posicionado para day-trade. Creio um layout a parte para posições mais longas.

Para facilitar, use tabelas e os alarmes. Hoje quase todos os softwares de análise ou roteamento contam com alarmes. Ou seja, se o preço de um mercado bater num determinado patamar, há um aviso na tela ou mesmo pode e-mail e celular. Isso facilita muito o trabalho e pode possibilitar o acompanhamento de dezenas de mercados ao mesmo tempo sem que você necessite estar olhando para os gráficos.

Softwares utilizados

Utilizo para análise no mercado brasileiro o ProfitChart da Nelogica, que pode funcionar também como roteador de ordens. Além disso, utilizo o LS PRO da XP corretora, assim como os apps para Iphone e Android.

Para o mercado internacional, utilizo a plataforma TWS da XP Securities para análise e roteamento, em conjunto com o Metastock e o Trading View. Além disso, o Excel para planilhas de acompanhamento.

Minhas plataformas

Mobile: Laptop Sony Vaio Z, tela 13.3’’, Core i5 2410M, 6Gb Ram, 128 GB SSD mais Laptop Sony Vaio Pro Touch, tela 13.3’’, Core i7-4500u, 8Gb Ram, 256 Gb. Iphone 5, Sony Xperia z1. Quando possível, monitores adicionados aos laptops. São dois laptops muito leves, menos de 1Kg cada um.

Estação de trading no homeoffice: Desktop Dell Xps 8700 com processador i7-4790, 24 Gb RAM, Hd Ssd 256 Gb + 2 Tb Sata. Dois monitores Asus PB278Q, resolução 2560x1440. Internet Fibra 100 Mb + cabo 25 Mb. No-break 2 hs autonomia. Laptop adicional.

Estação de trading escritório: Desktop Falcon Trading Systems F-52x, processador i7-5820K, 24Gb Ram DDR4, Hd Ssd 256 Gb + 2 Tb Sata. Quatro monitores Acer 27’’. Internet Fibra 100 Mb + ADSL 50 Mb. No-break 2 hs autonomia. Laptop adicional com monitor Asus MX279H.

Sites de consulta:

www.dell.com.br 

www.hp.com.br 

www.apple.com

www.kabum.com.br 

www.amazon.com 

http://www.tradingcomputers.com/

www.logmein.com

www.dropbox.com

www.parallels.com

www.nelogica.com

www.leandrostormer.com.br/investimentos

www.tradingview.com

www.metastock.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

Opera no mercado há 15 anos com estratégias desenvolvidas a partir da análise técnica e de métodos quantitativos. É fundador da Escola de Traders Leandro & Stormer, que já treinou mais de 40 mil alunos nos últimos 10 anos. leandro@leandrostormer.com.br