Blog InfoMoney

Máxima Performance

Em blogs / investimentos / maxima-performance

Nova ferramenta gratuita de Fundos de Investimentos

Informações de todos os Fundos de Investimentos do Brasil podem ser consultadas gratuitamente, com com um visual muito agradável e intuitivo. Objetivo é fazer com que os investidores consigam encontrar as melhores opções de fundos.

Quem leu meus últimos textos aqui da Infomoney sabe o quanto tenho batido na tecla de que os juros mais baixos vão forçar o investidor a escolher melhor o destino do seu dinheiro e inevitavelmente começar a aplicar em alternativas que talvez nunca tivesse se aventurado antes.

Nesse sentido, é muito provável que os Fundos de Investimentos das melhores gestoras vão começar a ganhar cada vez mais destaque e o investidor que ficar de fora acabará se arrependendo se não se aprofundar mais nesse assunto.

Mas claro, dentre um universo de mais de 20 mil fundos registrados na CVM, como escolher o mais adequado para cada pessoa?

Eu sei que essa resposta não é fácil e a busca por ela tende a ser consideravelmente cansativa se não soubermos para onde olhar.

E sei disso na prática, porque também já passei por isso quando resolvi escolher os melhores fundos para aplicar meu dinheiro.

Apesar de já ter selecionado um grupo de fundos adequados aos meus objetivos, escolher apenas os poucos que iriam compor minha carteira acabou se tornando uma tarefa ingrata, da qual eu teria que ir atrás de lâminas individuais que continham informações diversas e acabar fazendo vários cálculos na mão.

Mesmo algumas boas ferramentas que encontrei pela internet acabaram não oferecendo exatamente o que eu precisava.

Por isso quando decidi montar o Mais Retorno com meus sócios, um dos objetivos era justamente construirmos nós mesmos a ferramenta que agregasse exatamente as informações que mais procurávamos.

A boa nova é que essa semana disponibilizamos a primeira versão da Lâmina de Fundos do Mais Retorno que você pode acessar imediatamente e totalmente grátis.

Como acredito que nenhuma ferramenta ou aplicativo fazem o trabalho sozinho se não soubermos aproveitar da melhor maneira as informações fornecidas por eles, resolvi agregar algumas dicas preciosas abaixo para você tirar o maior proveito possível dessas lâminas.

Confira a seguir:

Rentabilidade Absoluta x Rentabilidade Relativa

Saber se seu fundo está ganhando dinheiro obviamente é uma informação importante, mas sozinha ela não quer dizer muita coisa.

Afinal de contas, seu fundo pode até ter rendido positivamente no mês passado, mas mesmo assim não ter ganhado nem mesmo da poupança (e tem muito fundo referenciado por aí que hoje já não ganha mesmo!).

Por isso, mais importante que a simples rentabilidade absoluta do seu fundo, é comparar ela com algum índice de referência (benchmark), seja o CDI, Ibovespa ou qualquer outro indicador mais adequado ao perfil de investimentos do fundo avaliado.

 Saber a rentabilidade relativa do seu fundo é tão importante, que as próprias gestoras divulgam qual o índice de referência que ele tem como objetivo superar.

Apenas cuide sempre para comparar seu fundo com os benchmarks corretos: não faz sentido comparar um fundo de ações com o CDI e nem um fundo de renda fixa com o Ibovespa.

Cotistas x Patrimônio Líquido

A regulação atual da CVM obriga que todos os fundos registrados no país apresentem uma série de informações publicamente e que ficam disponíveis no próprio site do órgão regulador.

Dentre essas informações a quantidade de cotistas que investem em um fundo e o patrimônio líquido total dele (o volume total de recursos de que ele dispõe) podem nos dar algumas dicas interessantes.

A primeira delas é observar o próprio histórico da quantidade de cotistas. Se a quantidade de cotistas estiver aumentando ao longo do tempo, é um bom sinal, de que mais pessoas estão se interessando pelo fundo. Se a quantidade estiver caindo, então alguma coisa errada pode estar acontecendo com esse fundo, desagradando seus investidores e você provavelmente não vai querer ser o próximo a descobrir.

E cuidado quando um fundo tiver poucos quotistas e capital concentrado, pois a saída de um grande investidor pode acabar comprometendo os resultados.

O legal de saber o valor total do fundo e a quantidade de cotistas que investem nele é que você consegue ter uma ideia do valor médio que as pessoas costumam investir nele.

Logo o segundo ponto a se observar é o próprio valor médio aplicado no fundo. Afinal, se você puder notar que o fundo é composto por grandes investidores (que costumam ter melhores informações ou serem melhores assessorados), talvez valha a pena para você também investir com os “tubarões”.

Patrimônio Líquido x Valor Aplicado

Um item básico a se avaliar nos fundos de investimentos também é o valor que foi aplicado nele para compor o patrimônio atual.

Alguns fundos incríveis podem até mostrar um patrimônio líquido não tão grande, mas ao avaliar o valor aplicado e descobrir que ele é negativo, você percebe que na verdade esse fundo já recuperou todo o investimento inicial e seus cotistas na verdade só estão colocando dinheiro no bolso!

O caso do R&C FIM, gerido pelo Cláudio Coppola di Todaro, é um clássico disso e vale muito a pena você conhecer.

E claro, fundos que tiverem um patrimônio líquido crescente, mas com valores aportados crescendo praticamente no mesmo ritmo, podem não ser mais que uma mera ilusão.

Em muitos casos o fundo pode ter um rendimento medíocre, mas por pertencer a uma instituição financeira com grande força comercial acaba tendo esse crescimento do patrimônio líquido somente captando mais recursos, sem necessariamente estar criando valor real para seus cotistas.

Volatilidade

Para saber se um fundo é adequado para você, um dos principais itens que você deve se atentar é ao risco dele.

E apesar de existirem diversas formas de riscos em investimentos, a volatilidade é a forma mais prática de mensurar o risco de mercado. Ou em outras palavras, o risco das oscilações bruscas no valor e na rentabilidade do seu dinheiro.

Em termos práticos, os fundos mais conservadores costumam ter rentabilidades que não passam de 2% ao ano, enquanto fundos mais agressivos podem passar tranquilamente dos 10% ao ano.

Logo, antes de investir em qualquer fundo é muito importante que você conheça seu próprio perfil de investidor e invista apenas nos fundos mais adequados para seu perfil.

Drawdown

Outro ponto interessante ligado ao risco de um fundo é o Drawdown.

Esse indicador apresenta de forma simples para o investidor os momentos em que o fundo sofreu prejuízos e quanto tempo ele levou para começar a recuperar as perdas.

Ele é interessante, pois o investidor consegue analisar de forma transparente olhando para o passado, se aguentaria de fato as fortes oscilações e longos períodos de perda que eventualmente acontecessem.

Isso aliado a volatilidade certamente tornam a escolha muito mais assertiva para investidor de fundos em termos de riscos assumidos no investimento.

Estatísticas diversas

Alguns indicadores são bem básicos, mas nem por isso deixam de ser uma informação poderosa para separar e identificar os melhores fundos.

O primeiro e mais difundido deles é o Índice de Sharpe. Esse índice informa ao investidor de forma clara a relação risco-retorno mais vantajosa na hora de comparar diferentes fundos.

Ou seja, fundos que apresentarem esse índice com valor negativo, já podem ser descartados porque seu retorno simplesmente não compensa o risco assumido. Além disso, quando for comparar diferentes fundos aquele que apresentar o maior número para esse índice, será o que tem, portanto, a relação risco-retorno mais vantajosa.

Outros dados muito simples como saber quantas vezes o fundo variou positivamente e negativamente, quantas vezes ele bateu seu benchmark e quais os melhores e piores meses históricos, também são uma boa pista para diferenciar os bons fundos dos ruins.

Conclusão

Conforme antecipado, todas essas dicas citadas acima podem ser visualizadas de forma simples e gratuita na nova ferramenta do Mais Retorno que você pode acessar diretamente por aqui.

E mesmo que você já possua uma carteira ativa de fundos essa ferramenta também pode ser uma grande aliada para você na hora de acompanhar a evolução dia-a-dia dos seus investimentos, uma vez que ela é atualizada sempre com os dados mais recentes da CVM.

O que achou das dicas e da ferramenta? Se tiver mais alguma dica boa de como escolher bons fundos, conta pra gente aqui nos comentários!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

ações

perfil do autor

InfoMoney Blogs

contato@
maisretorno.com

Felipe Medeiros

Economista e fundador do site Mais Retorno, também foi um dos criadores dos sites Bolsa Financeira e Melhores Fundos e de outras fintechs ao longo dos últimos 10 anos. Tem como objetivo compartilhar suas experiências e se conectar com outros investidores e entusiastas do mercado.

Contato