Resultados comprovam importância de educação financeira nas empresas

Implantar um programa de educação financeira nas empresas realmente vale a pena? Neste artigo e afirmo que os resultados são diretos na vida dos colaboradores e nos resultados da empresa.  Mas, mais importante, também apresento números sobre o tema.
Blog por Reinaldo Domingos  

Implantar um programa de educação financeira nas empresas realmente vale a pena? São frequentes os questionamentos dos mais variados tipos de pessoas sobre o tema e sempre reafirmo que os resultados são diretos na vida dos colaboradores e nos resultados da empresa.

Mas, mais importante do que eu falar é apresentar números sobre o tema, e por isso utilizarei os resultados da empresa Termomecânica, indústria de transformação de metais, de um primeiro trabalho que realizamos em 2011 e avaliamos o resultado um ano depois.

Lá fizemos um comparativo “antes” e “depois”, permitindo identificar o desenvolvimento do grupo de participantes, no aspecto financeiro e o reflexo na qualidade de suas vidas. Os números são impressionantes no tocante à mudança no comportamento das pessoas. Houve uma diminuição expressiva dos Participantes que possuíam o comportamento de Endividados, de 45% para 9%. Assim como uma evolução dos participantes com o comportamento de Investidor, de 14% para 45%.

Isto demonstra que o Programa alcançou excelentes resultados, permitindo que as pessoas refletissem se as atitudes financeiras eram apropriadas e saudáveis financeiramente. O projeto proporcionou a conscientização do que era necessário mudar em seus hábitos e costumes para alcançar o efetivo controle financeiro da sua vida; e o quanto esses hábitos podem estar vinculados a padrões comportamentais aprendidos pela cultura social, familiar ou vivências.

Além disso, foram feitas análises diretas com os participantes que responderam que as reflexões trazidas no curso e consultorias, não só auxiliaram para a mudança do tratamento dada ao dinheiro, como também tiveram reflexos na melhoria no convívio familiar e profissional e na realização de seus sonhos.

Esses resultados para o empresário também é muito importante, sendo que são percebidos no próprio ambiente de trabalho, com a redução de faltas e atrasos o que chamamos de absenteísmo, o aumento da produtividade, a melhora no clima organizacional e o fortalecimento do vínculo colaborador e organização.

Para os lideres de empresas que ainda não se atentaram a importância desse tema peço uma reflexão, como está a situação em sua empresa? Qual a porcentagem de endividados? Estar endividado é uma realidade para milhões de brasileiros e, com a expectativa de crescimento econômico para os próximos anos, o nível de endividamento tende a aumentar. Os impactos do descontrole financeiro atingem não somente a pessoa endividada, mas todos ao seu redor: família, amigos, empresa, etc.

Na empresa o ciclo vicioso do endividamento dos colaboradores tem reflexo direto nos relacionamentos e diminuição no rendimento no trabalho, que tende a cair à medida que as dívidas aumentam e chegam a inadimplência, ou seja a falta de pagamento. Sem contar, os problemas de ordem física e emocional como crises de estresse, depressão, ansiedade e baixa auto-estima. A palavra-chave para reverter esse cenário é a educação financeira.

Cada vez mais as empresas procuram incentivar uma atitude pró-ativa entre colaboradores e seus familiares, em termos de bem-estar. Investir na reeducação financeira de sua equipe é mais uma ferramenta que a empresa pode utilizar em prol da qualidade de vida dos trabalhadores.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil do blogueiro

Reinaldo Domingos é presidente da Abefin (Associação Brasileira de Educadores Financeiros), autor de vários livros e criador da Metodologia DSOP de Educação Financeira.