Direto da América
Dinheiro e estilo de vida
Tito Gusmão

Recompra da Votorantim gera ganhos de mais de 2.5%

O anuncio de recompra dos títulos feito pelo Votorantim trouxe alegria aos detentores do papel já que a Empresa está recomprando os papeis 2-3% acima do fechamento anterior, levando os seus papeis a subirem esses 2.5% ao longo do dia enquanto títulos similares caiam 0.5%.
Blog por Luiz Schlittler  

Essa quarta feira, 4 de abril de 2014, foi um dia bem misto no mercado de Corporativos Latinos, mas com bom volume negociado. Alguns papeis estiveram bem pesados como Fibria 2024, Braskem, Gerdau , Vale e Petrobras . Estes cairam próximo a 0.5% no dia. Clientes locais e investidores pessoas física continuam fortemente na compra enquanto os fundos dedicados estiveram mais inclinados a vender papel, apesar da forte captação desses fundos em mais de $570MM na semana passada.

Enquanto isso, o anuncio de recompra dos títulos feita pelo Votorantim trouxe alegria aos detentores do papel já que a Empresa está recomprando os papeis 2-3% acima do fechamento anterior, levando os seus papeis a subirem esses 2.5% ao longo do dia enquanto títulos similares caiam 0.5%.

GVO (Virgolino) ainda está trabalhando intensamente no seu processo de renegociação de divida já que até janeiro de 2015 vencem perto de R$250MM em divida e a empresa somente teria R$120MM em caixa. Supostamente a empresa deseja emitir um papel de 5 anos no mercado internacional para com isso poder pagar um empréstimo feito junto ao BNDES, e assim liberar uma de suas Usinas dadas em garantia e facilitar negociações futuras . Os papeis antigos GVO 18 subiram belos 2% no dia após o rumor sobre a captação.

Argentina está se tornando a historia mais interessante a ser contada nos próximos meses por ser ainda um dos únicos países com taxas de juros em dólar acima de 10% ao ano, o que eh altíssima no mundo de Renda fixa de países emergentes. Uma provável vitória da oposição (60% de chance) deverá trazer grandes benefícios na percepção do investidor internacional e forte demanda por seus papeis. Sem duvida nenhuma, caso essa mudança politica aconteça, os títulos argentinos serão os maiores ganhadores dos próximos 12 meses no mercado de credito mundial e terá ganhos anuais acima de 40% em seus papeis de 10 anos. (Altíssimo retorno aliado a alto risco).

Gráfico Boden 15

Na Europa emergente, bancos Russos e Turcos tiveram suas notas de credito pioradas o que colocou pressão nesses papeis e causou perdas de mais de 1% no dia. O restante dos papeis seguiu os Títulos americanos e se enfraqueceram.

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil dos blogueiros

Tito Gusmão é andarilho, morador de Manhattan e fica plugado 24 horas por dia no mercado financeiro. Nas horas vagas, se acha roqueiro e costuma jogar basquete contra os americanos (seu score está em 50/50, mas promete melhorar). Comandou a área de análise da maior corretora do Brasil e agora está lançando um projeto para dominar o mundo. titocgusmao@gmail.com e www.pregaoemcasa.com.br