Direto da América
Dinheiro e estilo de vida
Tito Gusmão

Boletim de Renda Fixa Internacional

Terça feira foi dominada por vendedores de títulos os quais sofreram com a pouca liquidez e a forte quedados títulos americanos. Os vendedores preferiram não ser agressivos e não pressionaram o mercado para baixo, mas grandes lotes de papeis de qualidade continuaram sendo oferecidos no mercado sem uma contrapartida de compra.
Blog por Luiz Schlittler  

Terça feira foi dominada por vendedores de títulos os quais sofreram com a pouca liquidez e a forte quedados títulos americanos. Os vendedores preferiram não ser agressivos e não pressionaram o mercado para baixo, mas grandes lotes de papeis de qualidade continuaram sendo oferecidos no mercado sem uma contrapartida de compra.

Em geral, nós vimos melhores ofertas em papéis de maior qualidade como Braskem, Fibria, Gerdau, Votorantim Cimentos, Vale e Petrobras que são mais sensíveis as oscilações da taxa de juros americana.

Os papeis da JBS sofreram ontem após o anuncio do aumento da sua oferta de compra pela empresa americana Hillshire Brands em USD 1,3Billion. Em caso da compra ser efetuada, a alavancagem da empresa iria para 5X Ebtida (Lagida). Os títulos caíram 0,5% no dia.

Odebrecht Oil anunciou a intenção de na próxima semana emitir títulos Perpétuos com alta taxa de retorno. Estamos esperando o anuncio formal para entender as garantias oferecidas para esses papeis. Nos próximos dias o Banco do Brasil também irá emitir títulos perpétuos bem próximos ao risco de credito de ações e que também deverão vir com taxas acima de 8%.

Nessa manha a atividade está concentrada nos títulos de CSN que tem tido boa procura após a entrada da empresa no mercado de Aço Vergalhão.

Votorantim cimentos também, momentos atrás, veio com o anuncio de que desejam recomprar seus títulos 6.62% 2019, 7.75% 2020 e 6.75% 2021. Nós esperamos que uma emissão de títulos 2024 ou 2044 acompanhará essa recompra. Isso é mais um exemplo do alongamento de dividas de empresas as quais estão se aproveitando das baixas taxas de juros longas e do apetite dos investidores de credito internacional por empresas de boa qualidade brasileira. Em geral são os estrangeiros que preferem títulos de 10 a 30 anos enquanto os Latinos se concentram mais em títulos de 5 anos.

 

Grafico com preços de ativos na recompra

Votora 6.75% 21 é o papel com o preço mais agressivo nessa recompra e seria o mais interessante a ser vendido no grupo da oferta.

 

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

Deixe seu comentário

Perfil dos blogueiros

Tito Gusmão é andarilho, morador de Manhattan e fica plugado 24 horas por dia no mercado financeiro. Nas horas vagas, se acha roqueiro e costuma jogar basquete contra os americanos (seu score está em 50/50, mas promete melhorar). Comandou a área de análise da maior corretora do Brasil e agora está lançando um projeto para dominar o mundo. titocgusmao@gmail.com e www.pregaoemcasa.com.br