Blog InfoMoney

De olho no dólar

Em blogs / cambio / de-olho-no-dolar

FGTS: que tal investir em você?

Uma sugestão que pode fazer o seu FGTS, sacado das contas inativas, ter um retorno imensurável!

Caro leitor!

Desta vez eu vou falar sobre planejamento financeiro pessoal e trazer uma nova ideia sobre o que você poderia fazer com os recursos sacados das contas inativas do FGTS. Minha sugestão é muito diferente do senso comum, que se resume a três pontos básicos:

1-     Se tiver dívidas, especialmente bancárias, o ideal é pagá-las o quanto antes, pois os juros são muito elevados;

2-     Se não tiver dívidas, invista preferencialmente no longo prazo – as sugestões passam pela previdência privada (planos na modalidade VGBL) aos títulos públicos indexados ao IPCA (“Tesouro IPCA”);

3-     Evite gastar em produtos de consumo, mesmo que as propagandas sejam muito convidativas.

O que você não pode esquecer é que a decisão de como usar o dinheiro das contas inativas é pessoal. Até concordo que a prioridade deveria ser o pagamento de dívidas e que o ideal é evitar gastar os recursos em produtos de consumo.

A minha sugestão é para quem vai sacar o FGTS e está sem dívidas, e ela não tem nada a ver com aplicações no mercado financeiro, que possivelmente terão retornos limitados (por exemplo, títulos “Tesouro IPCA” vão render um pouco acima de 5% ao ano além da inflação – isto sem considerar os custos e o imposto de renda). Eu sugiro um investimento com retorno imensurável: invista em você mesmo, em educação formal ou qualificação profissional, afinal, a cada dia a aposentadoria está mais distante e os gastos do governo em educação estão cada vez mais limitados. Assim, por que não investir no que você tem de melhor: a sua vida!

Esta sugestão é válida para todos, mesmo para quem está próximo da aposentadoria, pois é possível investir na busca de uma nova profissão para fins de complemento de renda ou até mesmo em um hobby.

Listo algumas sugestões abrangentes e válidas para qualquer valor, idade ou profissão:

1-     Compra de livros didáticos;

2-     Cursos profissionalizantes;

3-     Cursos de idiomas;

4-     Cursos pela internet – há várias ofertas de cursos gratuitos, mas há bons cursos a distância com preço mais acessível do que o de um curso presencial;

5-     Cursos presenciais, que agregam a vantagem de conhecer e se relacionar com outras pessoas, aumentado o seu network;

6-     Intercâmbio no exterior;

7-     Curso de graduação ou pós-graduação, desde que o valor do saque seja suficiente para pagar parte do curso e aí você faz o seu planejamento de fluxo de caixa, identificando despesas desnecessárias e, ao contar com uma receita extra, pode proporcionar um salto maior em sua carreira!

Qualquer que seja a sua escolha, é extremamente importante buscar instituições sérias e cursos com ótima reputação e compatíveis com a sua carreira atual ou com uma carreira que deseja! Afinal, este dinheiro só será usado uma única vez e, assim, precisa ser muito bem investido!

Este é o meu recado de hoje. Pense nisto com muito carinho!

Importante: As opiniões contidas neste texto são do autor do blog e não necessariamente refletem a opinião do InfoMoney.

FGTS
(Divulgação)

perfil do autor

José Faria Júnior

José Raymundo de Faria Júnior é diretor da Wagner Investimentos e Consultor de Valores Mobiliários registrado na CVM. Economista formado na UFJF, com mestrado em Administração pela Fecap e possui as certificações CFP® de planejamento financeiro pessoal e CNPI de analista de ações. Também atua como professor de finanças em cursos de MBA na BSP Business School São Paulo, Escola Superior Nacional de Seguros e Faculdades Oswaldo Cruz.

Quer dicas exclusivas?

Preencha os campos abaixo e receba dicas e conteúdos exclusivos do blog De olho no dólar

Contato