Blog InfoMoney

O Investidor de sucesso

Em blogs / bolsa / o-investidor-de-sucesso

Opções: centavos de ouro ou "cemitério de malandro"? Conheça melhor esse mercado

Em pouco mais de 30 dias, quem comprou R$ 100 em opções da Petrobras embolsou mais de R$ 2.000; conheça melhor esse "controverso" mercado da Bolsa

SÃO PAULO - Em pouco mais de um mês, as ações da Petrobras (PETR4) engataram uma forte - e inesperada - disparada na Bovespa, acumulando entre 16 de março e esta segunda-feira (20) uma valorização de 57,8%, saindo de R$ 8,30 para os atuais R$ 13,09. Mesmo diante de tantas polêmicas e escândalos que surgiram neste período, os investidores enxergaram nas cotações atuais do ativo uma relação "risco x retorno" bastante atrativa, sobretudo após os rumores sobre vendas de ativos para melhorar a saúde financeira da estatal e após a tão esperada confirmação da divulgação do balanço de 2014 para 22 de abril (próxima quarta-feira) após o fechamento do pregão.

Se no mercado de ações a disparada da Petrobras foi impressionante, o desempenho no "controverso" mercado de opções chega a ser inacreditável aos olhos de quem não está familiarizado. A pegar como exemplo a opção "PETRD11", que dava o direito de comprar ações da petrolífera até hoje ao preço de R$ 11,16: esses contratos subiram mais de 2.000% entre o vencimento dos contratos de março e de abril.

Na prática: quem comprou R$ 100 deste contrato na 3ª segunda-feira de março embolsou R$ 1.925, caso ele tenha vendido esta opção no fechamento da última sexta-feira (17) (ver tabela abaixo).

Ticker Explicação Cotação
16/03/15
 
Cotação
20/04/15 
Variação  Quem aplicou R$ 100...
PETRD10

Opção de comprar
PETR4 a R$ 10,16

R$ 0,16  R$ 3,08  +1.825% Ficou com R$ 1.925,00
PETRD11  Opção de comprar
PETR4 a R$ 11,16 
R$ 0,09  R$ 1,90  +2.011% Ficou com R$ 2.111,11
PETR4 Ação preferencial
da Petrobras 
R$ 8,46 R$ 13,09 +54,6% Ficou com R$ 154,73

Mas antes de se empolgar e sair comprando opções da Petrorbas, conheça melhor esse mercado e entenda os riscos existentes:

1) O que é uma opção?
A opção é um derivativo negociado na Bolsa de Valores. E como qualquer derivativo, seu preço "deriva" da oscilação do ativo ao qual ela se lastreia - no caso de uma opção de ação, o contrato varia de acordo com as oscilações desta ação na Bovespa.

Quem compra uma opção está adquirindo o "direito" de comprar ou vender alguma ação; já quem vende a opção tem a obrigação de atender a exigência daquele que comprou o contrato. Ou seja: se você vendeu uma opção de compra e essa opção for exercida, você terá que vender essa ação ao detentor da opção pelo preço estabelecido; se você vendeu uma opção de venda e ela for exercida, você terá que comprar esta ação ao preço estabelecido.

2) O que é uma opção de compra? E uma opção de venda?
Existem dois tipos de opções: de compra (call) e de venda (put). Quando um investidor compra uma "call", ele está adquirindo o direito de comprar uma determinada ação a um preço já estabelecido (que é preço de exercício, ou "strike") até um dia de vencimento já firmado. 
Para o investidor que compra uma "put", ele está adquirindo o direito de vender uma ação até um dia determinado a um valor já estabelecido. 

3) O que significam as letras e números de uma opção?
Tanto para "call" como para uma "put", todas as informações sobre o ativo, o preço de exercício e o vencimento já estão explícitos no contrato. As 4 primeiras letras denominam qual ação é o alvo da opção; a 5ª letra define se é uma opção de compra ou de venda e qual o vencimento da mesma; já os números definem qual o preço estabelecido para exercer este direito.

Pegando por exemplo a "PETRD10", citada acima:
> PETRa opção refere-se à ação da Petrobras
> D: é uma opção de compra com vencimento em abril (ver tabela de vencimentos abaixo)
> 10: define o preço de exercício da opção (obs: nem sempre o número explícito no contrato é exatamente o "strike" exato de uma opção: no exemplo citado, o preço de exercício é R$ 10,16).

4) Quando vence uma opção?
As opções de ações vencem toda 3ª segunda-feira do mês. Em meses em que há um feriado na 3ª segunda-feira, o vencimento é antecipado para a 2ª segunda-feira. Os meses de vencimento de uma call ou uma put são definidos por uma letra, conforme pode ser vista na tabela abaixo:

Mês de
vencimento
Call Put
Janeiro A M
Fevereiro B N
Março C O
Abril D P
Maio E Q
Junho F R
Julho G S
Agosto H T
Setembro I U
Outubro J V
Novembro K W
Dezembro L X

5) O que influencia no preço de uma opção?
Obviamente, o preço de uma opção varia de acordo com a distância da cotação atual da ação e seu "strike" - no caso de uma opção de compra: quanto menor for o strike em relação ao preço da ação, mais cara será esta opção.

Mas o preço de uma opção também considera outros dois quesitos importantes: tempo e volatilidade. Quanto maior o tempo de distância para o vencimento da opção, maiores as chances de em algum momento o contrato estar "dentro do dinheiro" - isto é, quando vale a pena exercer a opção. Da mesma forma, quanto mais volátil for o comportamento desta ação na Bovespa, maior é a possibilidade de que a opção fique dentro do dinheiro em determinado momento, o que acaba encarecendo o preço da opção. 

6) Quando posso negociar opções?
As opções podem ser negociadas durante o pregão regular da Bovespa (das 10h às 17h). Importante: você não pode negociar opções no dia que elas vão vencer. As opções com vencimento no mês vigente só podem ser negociadas até um dia antes do exercício.

Opções: centavos de ouro ou "cemitério de malandro"?
Agora que você já sabe melhor o que é o mercado de opções, vamos ver os riscos existentes neste mercado - e entender porque ele recebe esse apelido de "cemitério de malandro".

Para não deixar a explicação tão longa, vamos tomar um exemplo prático com a já citada PETRD10: cada contrato desta opção dava o direito de comprar uma ação Petrobras PN a R$ 10,16 até 20 de abril. Então quanto mais acima de R$ 10,16 estivesse o preço de PETR4 na Bovespa, mais esta opção iria se valorizar. E foi exatamente isso que aconteceu nos últimos 30 dias, já que a ação da Petrobras saiu da faixa abaixo de R$ 10,16 para ficar bem acima do strike (veja o comportamento do preço desta opção no gráfico abaixo):

No entanto, caso o investidor comprasse uma "call" cujo strike fosse de R$ 14, essa opção não seria exercida hoje e teria "virado pó" (expressão usada no mercado de opções para definir quando um contrato perde totalmente seu valor). O que isso significa na prática? Uma perda de 100% do capital investido!

Para quem levar em conta o exemplo citado na tabela: pode até questionar que "correr o risco de perder R$ 100 pode até ser satisfatório se você tiver a chance de ganhar mais de R$ 2.000 com a operação". É aí que mora o perigo.

Boa parte das histórias de investidores que quebraram na Bolsa tem como pano de fundo o mercado de opções: o excesso de confiança e a vontade de ganhar muito dinheiro quase que instantaneamente levam investidores com menor conhecimento a colocarem quase todo seu capital disponível para investimentos em uma "jogada de ouro" no mercado de derivativos. Contudo, se o trade der errado, a sua perda será de 100% - em outras palavras: "game over".

 

Insira seu melhor email e receba dicas e conteúdos exclusivos sobre como investir com sucesso

perfil do autor

InfoMoney Blogs

E-mailthiago.salomao@
infomoney.com.br

Thiago Salomão

Editor de Mercados do InfoMoney, analista técnico e fundamentalista e criador da Carteira InfoMoney. Graduado em Administração de Empresas pelo Mackenzie, com MBA em Mercados Financeiros pela Fipecafi e pela UBS/BM&FBovespa.

Quer dicas exclusivas?

Preencha os campos abaixo e receba dicas e conteúdos exclusivos do blog O Investidor de sucesso

Contato