Em azul

Após ações caírem mais de 5%, com volume 13 vezes acima da média, Azul confirma rumores do mercado

Não era oficial, mas nos bastidores circulava uma possível oferta secundária de acionistas a ser anunciada pela companhia aérea

SÃO PAULO - As ações da companhia aérea Azul (AZUL4) registraram movimento atípico nesta terça-feira (12), na B3. No pregão em que os papéis deveriam repercutir o aumento de 15,5% no tráfego total de passageiros em agosto ante o mesmo mês do ano anterior ou a elevação de 1,7 ponto percentual na taxa de ocupação, as atenções dos investidores se voltaram para outro ponto envolvendo a empresa.

Não era oficial, mas nos bastidores do mercado circulava uma possível oferta secundária de acionistas a ser anunciada pela Azul. Os papéis da empresa reagiram mal aos rumores, encerrando o dia em queda de 5,23%, a R$ 26,44, após chegarem a recuar mais de 6% no intraday. O volume financeiro negociado no pregão foi de R$ 91,974 milhões, o que corresponde a quase 13 vezes a média registrada nas últimas 21 sessões.

Entrevistado pela Bloomberg, o gestor de mesa da Canepa Asset, Eduardo Roche, disse que o movimento era explicado por uma possível oferta secundária de acionistas antigos da companhia. "Calculo algo por volta de R$ 1,6 bilhão", afirmou pelo telefone. Segundo ele, os números divulgados na véspera foram muito positivos para a companhia e podem indicar bons resultados no balanço do terceiro trimestre. No entanto, eles não foram suficientes para evitar a queda oriunda das especulações sobre a possível oferta secundária.

Durante o pregão, a Agência Estado noticiou que os acionistas da Azul preparavam uma oferta subsequente de ações de distribuição restrita, que deveria girar mais de R$ 1 bilhão e contaria com os trabalhos dos bancos Bradesco BBI, Itaú BBA, JPMorgan e Santander. Naquele momento, conta a nota que a companhia não havia respondido aos questionamentos feitos.

Pouco após o fechamento da B3 e do pregão atípico para as ações AZUL4, a companhia informou o mercado que prepara uma oferta pública secundária de 40.630.186 ações. A operação pode movimentar ao menos R$ 1,074 bilhão, com base nas cotações de fechamento dos papéis desta terça-feira. Segundo fato relevante enviado à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), estão entre os vendedores na oferta Saleb II Founder 1, Star Sbia, WP-New Air, ZDBR, Maracatu LLC, Trip Investimentos, Trip Participações e Rio Novo Locações Ltda.

Azul 2
(Divulgação/Azul)

Contato